Vacina contra o câncer de mama será testada em mulheres

03/12/2021 | POR Anderson Trajano

Vacina contra o câncer de mama será testada nos Estados Unidos em mulheres entre 18 e 24 anos. A pesquisa que está em estado inicial, será concluída em setembro de 2022.

Vacina contra o câncer de mama será testada em mulheres

As vacinas possuem a missão de proteger as pessoas de doenças como a febre amarela, varíola, covid-19 e muitas outras doenças. A função da vacina é estimular o corpo humano a identificar e combater as doenças no organismo. Fundamentados nessa definição, há anos cientistas da área do câncer tentam desvendar os mistérios da doença e criar um imunizante para combatê-la.


Prevenção ao câncer de mama. (Foto: Reprodução/IStock)


Informações divulgadas pelo jornal “Time”, o médico G. Thomas Budd, da Cleveland Clinic, nos EUA, está comandando uma pesquisa clínica inovadora de um imunizante contra o câncer de mama mais agressivo, o triplo negativo, que geralmente não é combatido por tratamentos convencionais da doença. A única prevenção para combater o câncer triplo negativo é a realização da mastectomia (cirurgia para retirada da mama por completo).

O imunizante deverá ajudar na prevenção da doença e ajudar as mulheres na produção de anticorpo e demais células do sistema imunológico. O teste da vacina em seres humanos foi aprovado pela Ford and Drug Administration (FDA, agência reguladora dos EUA). A primeira etapa da pesquisa será com mulheres entre 18 e 24 anos que passaram por terapias padrões nos últimos três anos. Essas mulheres irão receber três doses do imunizante experimental, com intervalo de 15 dias, com dosagens que aumentará de forma gradativo.

 

Brasil possui 2 casos da variante Ômicron

Anvisa quer confirmações sobre o êxito das vacinas contra a Ômicron

Porcentagem de pessoas infectadas pelo chikunguya crescem em 3.700% em SP


Os pesquisadores irão acompanhar os resultados e os efeitos colaterais das participantes, se o organismo delas responderão imunologicamente e se a doença voltará. Caso a fase inicial dos testes indicar que o imunizante é seguro, a pesquisa incluirá mulheres com risco alto de desenvolverem a doença de forma mais agressiva, mas que não foram diagnosticadas com o câncer. O estudo dever ser concluído em setembro de 2022.

 

Foto Destaque: Campanha de prevenção ao câncer de mama. Reprodução/IStock

Deixe um comentário