Notícias

Dicas para não ser vítima de fraude na Black Friday online

Algumas dicas úteis que podem ser utilizadas para não sermos vítimas de golpes e fraudes nas compras da Black Friday online no ano de 2021 na época de descontos.

3 min de leitura
18 Nov 2021 - 20h30 | Atulizado em 18 Nov 2021 - 20h30

No último ano a Black Friday conseguiu um aumento significativo no número de compras em massa de acordo com a Neotrust|Compre&Confie, 24,8% a mais que o ano anterior por meio do comércio eletrônico, obtendo um ganho de R$ 3,1 bilhões aproximadamente.

 

Desse modo, a expectativa é que o consumo pela internet no dia da Black Friday seja muito maior nesse ano de 2021. Já que pela pesquisa da Ipsos 64% da população anseiam por gastar em compras no grande dia.


Aumento de casos de golpe na Black Friday online preocupa consumidores (Foto: Reprodução/Divulgação/DNPontoCom/TT APPS)


 

O fato preocupante é que com esse aumento do consumo nessa época do ano, tem gerado alguns problemas que devem ser urgentemente resolvidos. O número cada vez maior de golpes e fraudes é um dele e talvez o mais grave de todos. Por isso, há algumas dicas que podem ajudar o consumidor para não sofrer de nenhum tipo de enganações oferecidas aos mesmos.

 

É importante dizer que o cidadão enquanto exerce o papel de consumidor possui a possibilidade de devolver a loja online o produto dentro de um limite de 7 dias após seu recebimento se houver algum problema, podendo realizar trocas de acordo com as regras de cada estabelecimento. Porém em promoções é sempre bom dar uma olhada para ter certeza de qual é o prazo limite em determinados casos.

 

“Já vi consumidores querendo aplicar esse prazo de direito de arrependimento a passagens aéreas, por exemplo, o que não é possível por resoluções da ANAC, que são diferentes do que está previsto no código em relação a esse aspecto. É sempre importante pensar que, quando não se tem uma função de quebra de expectativa, esse direito pode ser questionável”, a advogada Caroline Visentini do escritório Mattos Filho relata.

 

Com o crescente porcentual de golpes pela internet é provável que só aumente ainda mais na época de desconto, em datas comemorativas que estão por vir nesse ano.

 

“O primeiro passo é acionar o Procon para acionar a responsabilidade dessas empresas e, se for o caso, tentar responsabilizá-las criminalmente. Mas é um caminho mais difícil para ser ressarcido. Por isso é fundamental estar atento a detalhes a fim de prevenir ao máximo a atenção a esses golpes”, Caroline fala. 

 

https://lorena.r7.com/post/Baixa-em-passagens-de-aviao-leva-grande-aumento-na-procura-de-onibus-de-viagens

 

https://lorena.r7.com/post/India-volta-a-receber-turistas-apos-20-meses

 

https://lorena.r7.com/post/Tripulacao-da-Inspiration4-da-empresa-SpaceX-publicam-imagens-inusitadas-da-orbita-do-planeta


 

“Caso o consumidor seja vítima de fraude, ele pode fazer um boletim de ocorrência para registrá-la para que possa, futuramente, entrar com uma ação contra o estabelecimento”, informa advogada sênior Lígia Godoy do Mattos Filho.

 

A CEO Melissa Penteado da ProScore, oferece sugestões de formas de pagamento seguros: “É sempre recomendável ter o máximo de confiança no site, mas, caso seja a primeira compra em um estabelecimento novo e o consumidor não queira expor os dados do cartão de primeira, o boleto bancário pode ser uma boa opção”.

 

Por fim Lígia advogada do Mattos Filho faz ressalva sobre produtos que sofrem atrasos na entrega ao cliente: “Salvo se for algo muito exorbitante, o melhor é que as empresas informem ao consumidor a verdade sobre a entrega de seus produtos. Muitas pessoas fazem compras na Black Friday esperando recebê-las até o Natal e, se não for possível garantir isso, é fundamental que o consumidor seja avisado”.

 

Foto destaque: Black Friday/Reprodução/Pure Pilates

Deixe um comentário