Saúde

Como os micróbios no seu intestino podem influenciar sua ansiedade

A quantidade de bactérias no intestino pode favorecer ou prejudicar a saúde mental. Segundo pesquisadores, baixos níveis de micróbios intestinais aumentam o risco de ansiedade e depressão.

3 min de leitura
04 Dez 2021 - 22h30 | Atualizado em 04 Dez 2021 - 22h30

A expressão "borboletas no estômago" e "frio na barriga" não existem por acaso - na verdade, seu emocional e seu sistema digestivo estão interligados de formas que você nem imagina. De acordo com pesquisadores, a quantidade de micróbios presentes no intestino pode influenciar até mesmo as chances de uma pessoa desenvolver ansiedade ou depressão.

Segundo eles, os baixos níveis de micróbios intestinais aumentam o risco de uma pessoa desenvolver essas doenças. Porém, o contrário também é possível - o tratamento de alterações psiquiátricas pode ser feito a partir da regulação da microbiota intestinal (trilhões de micro-organismos que habitam o intestino). 


As bactérias presentes no intestino influenciam a saúde mental. (Ilustração: Reprodução/Henri Campeã/SAÚDE é Vital 


Em uma revisão de estudos anteriores feita pelo Centro de Saúde Mental de Xangai, na China, as intervenções exclusivamente dietéticas, ou seja, sem o uso de probióticos, foram as que apresentaram melhores resultados. Uma suposição dos pesquisadores é de que a explicação seja que oferecer diferentes substratos alimentares à microbiota é melhor que introduzir tipos específicos de bactérias através de um suplemento que pode ter sido usado por tempo insuficiente para produzir mudanças reais no ambiente intestinal.

https://lorena.r7.com/post/Vacina-contra-o-cancer-de-mama-sera-testada-em-mulheres

https://lorena.r7.com/post/Porcentagem-de-pessoas-infectadas-pelo-chikungunya-crescem-em-3700-em-SP

https://lorena.r7.com/post/Mais-dois-casos-da-omicron-confirmados-pelo-Ministerio-da-Saude-no-pais-ao-todo-sao-cinco


Por isso, segundo indicações da psicóloga Meg Arroll, para cuidar de sua microbiota, o ideal é que você evite o consumo de refrigerantes e inclua em sua dieta alimentos fermentados, kefir e alimentos frescos e naturais, como frutas, legumes, cereais, leite, queijo e azeite. Caso inclua probióticos, os mais indicados são os que contém lactobacilos e bifidobactérias no rótulo. "Probióticos são bactérias vivas encontradas em alimentos, como iogurte, e em suplementos. Eles favorecem a microbiota intestinal.", explica Arroll. Além disso, é importante dormir bem e evitar o uso de antibióticos desnecessários.

Foto destaque: a saúde mental e intestinal estão interligadas. Reprodução/Jonatan Sarmento/SAÚDE é Vital

Deixe um comentário