Como a saúde física e mental podem influenciar na queda capilar

Publicado 16 de Oct de 2020 às 11:59

Sabemos que a queda de cabelo tende a ser mais comum dentre os homens, pelo menos é o que associamos quando falamos a palavra calvície. Mas vale ressaltar que as mulheres também podem sofrer desse problema. E ele pode se agravar devido aos momentos de estresse físico e mental. Segundo a esteticista, Karen Ribeiro, universitária na faculdade Celso lisboa. O estresse, juntamente com a má alimentação, podem ser gatilhos para esse problema.

Leia mais: Dicas para alimentação saudável nesta época do ano

Dentre os diversos tipos de queda de cabelo, existe a alopécia androgenética (calvície) e alopécia areata. Na calvície, geralmente é algo genético, vindo de outros casos na família, tanto no lado paterno quanto materno. Já a alopécia areata é basicamente uma doença autoimune dos pelos que causam áreas de falhas no cabelo e/ou pelos do corpo por agressão do próprio organismo, sendo na maioria dos casos reversível.

Além, de envolver muitos fatores genéticos, alguns deles ainda estão sendo descobertos, com possibilidades terapêuticas no futuro relacionadas a estes genes.


Secadores, Babyliss e principalmente chapinhas, devem ser evitados por pessoas com problemas de queda de cabelo (Foto:Reprodução/innoveclinic)


Alimentação e sua influência na queda capilar

A alimentação está associada diretamente na saúde dos nossos cabelos. Diversos nutrientes compõem o fio do cabelo e estão relacionados com a sua produção. Grande parte do cabelo é composta por uma proteína chamada queratina.

Outros fatores como a idade, problemas hormonais, estresse, genética e dentre outros fatores, também podem afetar no desenvolvimento dos cabelos. A alimentação diversificada e colorida, fornecem todos os nutrientes necessários para garantir a saúde dos cabelos e prevenir a queda de cabelo.

Vale destacar que todas as dietas restritivas, devem ser acompanhadas e orientadas por nutricionistas. No objetivo de garantir um suporte adequado, promovendo a saúde dos cabelos, além da saúde de um modo geral.

 

Cabelo x químicas

Secadores, Babyliss e principalmente chapinhas, devido à sua alta temperatura, devem ser evitados por pessoas com problemas de queda de cabelo. O uso desses produtos químicos, farão com que os cabelos sofram uma quebra nos fios e não tanto com a queda do fio inteiro. O calor intenso gera pequenas bolhas dentro da cutícula dos fios, contribuindo para a quebra do fio. Portanto, é bom evitá-los ou diminuir a frequência do uso.

 

Como solucionar a queda de cabelo

Existem variados tipos de tratamentos para a queda de cabelo. A mais comuns são feitas por soluções capilares, mesoterapia, shampoos, ingestão de vitaminas, implante capilar, entre outros. No tratamento da alopécia androgenética (calvície), ele se constitui na aplicação de Minoxidil no couro cabeludo associado ou não a finasterida oral. Já na alopécia areta, o tratamento principal é infiltração de corticoide na área de falha do cabelo.

 

Ressaltamos que para fazer um tratamento reversivo, é preciso que o profissional da área, no caso o dermatologista avalie as principais causas para indicar a melhor alternativa de acordo com o seu caso.

 

(Foto destaque: Como a saúde física e mental podem influenciar na queda capilar. Reprodução/tuasaude)

Deixe um comentário