Esportes

Atletismo: Thiago Braz conquista o bronze após cinco anos fora da elite da modalidade

Thiago Braz, ouro no salto com vara nas no Rio em 2016, conquista medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio 2020, após 5 anos longe da elite da modalidade e se torna o primeiro brasileiro a conquistar 2 medalhas consecutivas desde 2000.

3 min de leitura
04 Ago 2021 - 00h08 | Atulizado em 04 Ago 2021 - 00h08

Thiago Braz revelou que dois dias atrás havia sonhado com a prova de hoje. “Dois dias atrás eu tinha sonhado que tinha pego a medalha de bronze. Eu olhei no peito e não gostei muito, porque eu queria a de ouro”. Na manhã de terça-feira (3), o sonho se realizou, infelizmente não foi o ouro como o mesmo queria, mas o atleta voltou ao top 3 da modalidade mesmo após 5 anos fora da elite. O brasileiro que havia conquistado o ouro nas Olimpíadas de 2016, no Rio, conseguiu a medalha de bronze no salto com vara. 


Thiago Braz é bronze no salto com vara - AFP

Thiago Braz é bronze no salto com vara . (Reprodução: AFP)


Thiago obteve como sua melhor marca 5,87m. A prata ficou entre o norte-americano Christopher Nilsen, que saltou para 5,97m  e o ouro com o sueco Armand Duplantis, recordista mundial da prova, com 6,02m. Sendo assim, o recorde olímpico de 6,03m, feito no Rio de Janeiro, em 2016, ainda pertence ao brasileiro.

 

Brasil ganha do México nos pênaltis e vai para final das Olimpíadas de Tóquio 2020

Michael, jogador do Flamengo, revela ter tido depressão: 'Quis me suicidar'

Rebeca Andrade é medalha de ouro e conquista feito histórico nos Jogos Olímpicos

 

O brasileiro é o nono na história do salto com vara em Olimpíadas a somar duas medalhas nos Jogos Olímpicos. Os outros foram o francês Renaud Lavillenie, aquele mesmo que perdeu para Thiago Braz em 2016, os norte-americanos Bob Richards e Bob Seagren, o polonês Tadeusz Ślusarski, o japonês Shuhei Nishida e os soviéticos Igor Trandenkov e Maksim Tarasov.

 

Além disso, em nível nacional, Thiago Braz tornou-se o primeiro brasileiro a chegar ao pódio no atletismo em duas Olimpíadas consecutivas desde Sydney em 2000, quando o velocista André Domingos repetiu a conquista nos 4x100m rasos em Atlanta 1996. O atleta foi prata na prova por equipes na Austrália e bronze nos Estados Unidos.

 

O que muitos não sabem é que desde a conquista do ouro olímpico no Rio, Thiago passou por 5 anos complicados. Lesões, resultados abaixo do esperado, perda de patrocínio, troca de treinadores e local de treino. Foram cinco anos complicados para o atleta, que deixou o brasileiro bem longe da elite do salto com vara. Porém para Thiago Braz nada disso iria fazer diferença em uma final olímpica. Era a chance da volta por cima, e o brasileiro veio com tudo para agarrá-la.

 


Thiago Braz garante medalha de bronze no salto com vara. (Reprodução: Aleksandra Szmigiel/Reuters)


Bastante paciente, sem pular etapas: de 5,55m para 5,70m e 5,80m. Então chegou a horaeio momento principal: o salto de 5,87m. Thiago até encostou no sarrafo, mas ele não caiu. Ele tinha conseguido a melhor marca desde julho de 2019.

 

“Uma resiliência. Em cinco anos, nada foi fácil para mim. Mas eu me superei, ganhei essa medalha, estou trazendo para o Brasil. Com toda felicidade e orgulho no peito”, disse Thiago Braz.

 

(Foto destaque: Atletismo: Thiago Braz conquista o bronze após 5 anos fora da elite da modalidade - Li Ming/Xinhua)

 

Deixe um comentário