Bem Estar

Vacinados com segunda dose de diferentes imunizantes reclamam da falta de emissão de certificado em aplicativo

Brasileiros reclamam da dificuldade de emitir certificado nacional de vacinação no aplicativo disponibilizado pelo governo com as doses já concluídas

3 min de leitura
01 Out 2021 - 16h30 | Atualizado em 01 Out 2021 - 16h30

Brasileiros que fizeram o uso de imunizantes de diferentes fabricantes na segunda dose da vacina contra covid-19, reclamam com problemas na emissão do certificado Conecte SUS, o aplicativo oficial do Ministério da Saúde. 

As pessoas que ja concluiram as duas doses ou dose única,  já podem emitir esse certificado de vacinação em todo país. Há municípios que passaram a exigir o documento para determinados locais ou tipos de evento. O certificado do SUS pode, inclusive, ser usado em viagens internacionais, para onde já é permitida a entrada de brasileiros.

O intercâmbio de vacinas, como é chamada a troca entre os imunizantes para a aplicação da segunda dose, foi aprovado pelo Ministério da Saúde e pelo Plano Estadual de Imunização (PEI) e Comitê Científico do Estado, além da Organização Mundial da Saúde (OMS). É comum encontrarmos pessoas com receio de aceitar a troca mas, como tudo relacionado à vacinação contra o novo coronavírus, é comum encontrarmos pessoas com receio de aceitar essa troca. Para quem já completou a vacinação contra covid-19, seja com imunizante de uma ou de duas doses, é possível obter um Certificado Nacional de Vacinação específico para a doença, emitido pelo Ministério da Saúde de forma eletrônica, por meio do site e do aplicativo do sistema Conecte SUS.


Campanha de vacinação (Foto: Reprodução/ G1)


O certificado só tem validade para o território nacional ficando a decisão sobre sua aceitação para cada país. O recomendado é pra quem pretende viajar para fora do Brasil, ideal é que consulte as informações mais atualizadas junto à embaixada do país visitante.

Atualmente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) faz a emissão do Certificado Internacional de Vacinação (CIVP) para viajantes, mas que abrange somente a febre amarela, doença para a qual já há acordos internacionais que regulamentam a certificação. O órgão alerta que “no momento, não há determinação da OMS e do Ministério da Saúde para emissão de CIVP da vacina de covid-19".

 

https://lorena.r7.com/post/Pandemia-Plataforma-anuncia-guia-pratico-para-melhorar-a-saude-mental

https://lorena.r7.com/post/Testes-para-covid-19-e-vacinas-vencem-no-Brasil-causando-prejuizo-de-R-80-milhoes

https://lorena.r7.com/post/Coronavirus-Cientistas-apontam-para-uma-eficacia-de-ate-74-da-vacina-da-AstraZeneca


Sobre o aplicativo:

Para acesso e emissão do Certificado Nacional de Vacinação, é necessário acessar o site ou o aplicativo Conecte SUS, ter um login na plataforma Gov.br, portal de serviços digitais do governo federal, uma vez feito o login, a pessoa terá acesso a uma série de serviços, incluindo o histórico de utilização do SUS. Na opção do menu Vacinas, deve constar as doses contra covid-19 já tomadas, para emitir. O sistema fornecerá então um código de 16 dígitos e um QR Code para validação do documento, que poderá ser baixado em formato PDF em três línguas: português, inglês e espanhol. O aplicativo dá também a opção de baixar uma versão em PDF do comprovante.  

 

Foto Destaque: Aplicativo Contect Sus. Reprodução/ Agência Brasil

Deixe um comentário