Bem Estar

Relatório sobre os efeitos da pandemia na saúde mental e física dos jovens e crianças preocupa

Relatório faz um levantamento dos efeitos do distanciamento social na saúde de jovens e crianças e chega à conclusões preocupantes. Entenda as causas e efeitos tanto no mundo quanto no Brasil.

3 min de leitura
26 Ago 2021 - 16h55 | Atulizado em 26 Ago 2021 - 16h55

Os efeitos da pandemia na saúde mental de crianças e jovens pode ser maior que o esperado e perigosos. Isso é o que aponta um relatório produzido pela comissária da Irlanda do Norte, Koulla Yiasouma, com respostas de 4.385 jovens, chamado de A new and Better Normal (Um Novo e melhor Normal). Os principais pontos levados em consideração foram a educação, saúde física, mental e bem-estar.

 Mesmo sendo necessária algumas medidas restritivas para o combate da covid-19, é inegável que as crianças e os jovens tiveram prejuízos nesse período. As desigualdades foram intensificadas, crianças sofreram com a ausência de muitos serviços presenciais, considerados essenciais para o seu desenvolvimento.

"O impacto de longo prazo da pandemia na saúde mental de crianças e jovens tem o potencial de ser significativo, especialmente se o apoio e a intervenção apropriados não forem fornecidos", aponta o relatório.

Pfizer compra a Trillium, empresa especializada em tratamentos contra o câncer

"Saia Justa" desta quarta (25) debate velhice e sexualidade, com Letícia Sabatella, no GNT

NEURÓBICA: Exercício para mente

 A ausência de serviços essenciais foi muito sentida, principalmente, por crianças com necessidades educacionais especiais e deficiências, uma vez que, com o advento da pandemia, o atendimento médico para problemas não relacionados ao coronavírus, problemas psicológicos foram amplamente prejudicados e limitados.

 Uma das observações do relatório confirmou que “as barreiras existentes enfrentada por crianças com deficiência ou necessidades de saúde complexas no acesso a suporte e serviços pioraram significativamente durante a pandemia”.

 A culpa entre os jovens também foi uma questão muito presente neste período, uma vez que se criou um estereótipo de que eles eram os maiores causadores da proliferação do vírus.


Relatório sobre os efeitos da pandemia na saúde mental e física dos jovens e crianças preocupa (Foto: Reprodução/Pexels)


 

 O relatório acrescentou que: “Embora as histórias na mídia sugerissem que as violações eram comuns, a grande maioria das crianças e jovens aderiu rigorosamente aos regulamentos e diretrizes emitidos. Apesar disso, eles afirmam que se sentiram demonizados e discriminados por adultos quando se encontravam em público, à medida que as restrições eram flexibilizadas.”

A situação no Brasil

 O traço mais forte no Brasil foi a desigualdade, uma vez que muitos não têm acesso à internet ou dispositivos que viabilizam o estudo online. Enquanto as redes de ensino com mais estrutura continuaram, mesmo que aos trancos e barrancos, a população mais carente ficou muito longe de conseguir seguir pelo mesmo caminho, ficando muito atrás na educação.

 O estudo 'Perda de Aprendizagem na Pandemia' aponta que o fato dos jovens perderem muito conteúdo escolar pode causar um rombo nas suas rendas futuras, que somadas podem chagar a um prejuízo de 700 bilhões de reais.

 

 

Foto destaque: Relatório sobre os efeitos da pandemia na saúde mental e física dos jovens e crianças preocupa. Reprodução/ pixabay.

Deixe um comentário