Beleza

Protetor solar: saiba a sua importância e o melhor para cada tipo de pele

A estação mais quente do ano, o verão acabou de chegar e com ele podemos lembrar a você da importância do protetor solar para a saúde da sua pele, confira

3 min de leitura
14 Dez 2021 - 09h27 | Atualizado em 14 Dez 2021 - 09h27

O verão já está entre nós, e com ele, a vontade de pegar aquele nosso óculos de sol favorito, o biquíni escolhido com tanto carinho durante o inverno, e pôr nossos pés cansados na areia macia da praia, pegando aquela dose de Vitamina D merecida. Porém, não esqueça do seu maior aliado na estação mais quente do ano: o protetor solar.

 

https://lorena.r7.com/post/NEOSTRATA-lanca-MINESOL-WEEK

https://lorena.r7.com/post/Premio-Multishow-veja-os-destaques-de-beleza-da-premiacao

https://lorena.r7.com/post/Confira-as-principais-beauty-trends-do-Google


A utilização incorreta do protetor solar pode trazer consequências graves para a nossa pele: de acordo com um estudo realizado pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), 117 mil casos de câncer de pele são pele são registrados ao ano,  se tornando, em média, 30% do total de tumores malignos registrados pelo Brasil. 


Modelo aproveitando o verão. (Foto: Reprodução/Freepik).


Além do câncer, não aplicar o uso do protetor solar em nossa rotina - sim, seu uso não é exclusivo para os dias de praia e piscina, é preciso que seja diário - pode resultar em uma pele ressecada, sensível e mais sujeita a casos de melasma e rosácea, por exemplo.

O dermatologista, Amilton Macedo - responsável por trás da pele saudável de famosos como  Ana Hickmann e Izabel Goulart - diz para a Revista Quem que devemos ficar atentos a qualquer possível surgimento de manchas e “pintas” em nossa pele, sendo as pessoas mais suscetíveis ao câncer de pele: maiores de 40 anos, com imunidade baixa e ainda, histórico familiar de casos anteriores: “As pintas, manchas, eczemas e descamações da pele são sinais recorrentes da doença e podem aparecer em áreas do corpo que ficam mais expostas ao sol, como rosto, pescoço e orelhas” Afirma o profissional.

Como escolher

Protetor solar desconfortável ao toque na pele é história do passado: com a evolução do mercado, aliado ao incentivo por parte dos jovens da atualidade quando se trata de cuidar da pele, resultando em uma vida mais saudável, as opções são inúmeras: toque mais seco - ideal para peles oleosas -, mais hidratante - indicado para pessoas de pele madura e/ou ressecada -, até mesmo com cobertura de maquiagem para quem deseja a praticidade na rotina.


Criança usando protetor solar. (Foto:Reprodução/Blog do Pão)


O dermatologista Daniel Cassiano afirma para a Revista Quem que, o ideal é pensar nas necessidades da sua pele: “Pensando no tipo de pele, no geral, os produtos em gel e sérum são indicados às mais oleosas, enquanto as loções e cremes são indicados às mais secas. Se sua pele é propensa à acne, procure as palavras ‘antioleosidade’ e ‘não-comedogênico’, no rótulo; quem tem pele mais seca se beneficia de produtos mais hidratantes, então essa palavra-chave deve estar no rótulo"

As opções são tantas que fica difícil escolher o ideal, mas fique atento a elementos como: o menor fator de proteção (FPS) indicado é o 30 - mesmo que você ame aquele bronzeado do verão - e proteger contra UVA, UVB e Infravermelho. Caso não encontre um produto com todas essas qualificações, não se desespere! Busque usar mais de um na pele até ter certeza que todas as proteções foram aplicadas.

 

Foto Destaque: Modelo usando protetor solar/Reprodução/Adcos

Deixe um comentário