Celebridades

Neymar teve contrato rompido com a Nike por suposto assédio sexual

O jogador Neymar Júnior foi acusado de assédio sexual por uma funcionária da empresa Nike e teria tido seu contrato rompido por conta da acusação, que foi negada por sua assessoria.

3 min de leitura
28 Mai 2021 - 19h39 | Atulizado em 28 Mai 2021 - 19h39

O jogador Neymar, de 29 anos de idade, está em meio a uma nova polêmica. De acordo com reportagem do norte-americano Wall Street Journal, o craque brasileiro do Paris Saint-Germain teve seu contrato rompido com a Nike por um suposto caso de assédio sexual contra uma funcionária da empresa.

O contrato multimilionário, segundo a reportagem, foi rompido em 2020 depois que a empresa começou a investigar uma acusação feita pela funcionária, que teve seu nome mantido em sigilo. A Nike não explicou o motivo do fim do contrato com Neymar, com quem estava há oito anos.

A funcionária disse a amigos e colegas da Nike que, em 2016, Neymar tentou forçá-la a fazer sexo oral no quarto de hotel em que estava hospedado em Nova York. Ela estava lá para ajudar a coordenar eventos e logística para Neymar e sua comitiva, de acordo com testemunhas, incluindo antigos e atuais funcionários da Nike, além de documentos obtidos pelo Wall Street Journal.


Neymar Jr recebe a primeira dose da vacina contra a Covid-19

Neymar e Whindersson Nunes integram lista de maiores influenciadores do mundo

Neymar nega festa em Paris para comemorar seus 29 anos


A assessoria do jogador nega a acusação: "Neymar Jr. se defenderá contra esses ataques infundados caso alguma denúncia seja apresentada, o que não aconteceu até agora", disse a equipe do jogador em nota, que ainda alega que Nike e Neymar se separaram por motivos comerciais.


neymar nike

Neymar em foto com sua chuteira da Nike, em um evento da marca, em 2017. (Reprodução/Instagram)


A mulher, que ainda faz parte da empresa, afirma que o grupo comemorou naquela noite na boate Up & Down e, depois da meia-noite, na madrugada de 2 de junho, funcionários do hotel pediram à mulher e a outro funcionário da Nike que ajudassem Neymar, que parecia estar embriagado, a ir para o seu quarto no hotel.

Ela disse que, quando foi deixada por um curto período de tempo sozinha no quarto com Neymar, ele teria tirado a cueca e a teria tentado forçá-la a fazer sexo oral. Ela disse ainda que Neymar a impedido de sair do quarto e a perseguido pelo corredor do hotel enquanto ainda estava nu.

A funcionária fez uma reclamação formal em 2018, quando outras mulheres da Nike se apresentaram para compartilhar experiências de assédio e discriminação, como parte de uma pesquisa sobre o tratamento dispensado às mulheres na empresa, segundo testemunhas e documentos obtidos pelo Wall Street Journal.

(Foto destaque: Neymar teve contrato rompido com a Nike por suposto assédio sexual. Reprodução/Instagram)

 

Deixe um comentário