Moda

Lojas de departamentos da Europa estão investindo em moda circular

A circularidade no varejo traz novos conceitos de uma moda com consciência sustentável, e lojas de departamentos estão abrindo espaços inteiros dedicados à moda circular em Paris e Londres, e a tendência é só aumentar.

3 min de leitura
21 Out 2021 - 21h22 | Atulizado em 21 Out 2021 - 21h22

A loja de departamentos Galeries Lafayette abriu um espaço permanente de 500 metros quadrados todo dedicado à moda circular, a Le(Re)Store, no interior de sua icônica flagship parisiense no Boulevar Haussman. O local é pequeno comparado ao endereço de 70 mil metros quadrados. "É uma oportunidade de trabalhar com novos protagonistas e suas comunidades para criar um ecossistema global", diz Alix Morabito, diretora de projetos especiais. 


Galeries Lafayette inaugurou a Le(Re)Store (Foto:Reprodução/Faleries Lafayette Group)


A iniciativa da Galeries Lafayette mostra como as redes varejistas estão procurando responder às preocupações de um consumidor cada vez mais consciente. Uma consulta pública nacional realizada com mais de 100 mil entrevistados em toda a França sobre moda sustentável, mostrou a necessidade dos parisienses por upcycling e peças de segunda mão. 

Quinze dias após a inauguração da Galeries Lafayette, a Printemps inaugurou um espaço voltado ao upycling, em Paris. O 7eCiel tem 1.300 metros quadrados e oferece roupas de segunda mão, serviços de recompra, além de uma seleção de marcas eco-friendly. 


Printemps inaugurou o espaço 7eCiel (Foto:Reprodução/Printemps) 


O Le Bon Marché Gauche inaugurou o Maison Vintage, um espaço com móveis, iluminação e objetos de decoração vintage. E desde 2020 é disponibilizado um serviço de reutilização de denim. 

Em Londres, a Harrods lançou a Luxury for Life, uma iniciativa para apoiar a circularidade e fornecer serviços para estender a vida útil dos seus produtos. O projeto incluiu uma loja temporária, a Fashion Re-told, que arrecadou fundos para caridade por meio da venda de itens de segunda mão. 

Em Florença, a multimarcas Luisaviaroma lançou o LVRSustainable, trazendo uma seleção com curadoria de marcas sustentáveis e colaborações com organizações sem fins lucrativos. 


https://lorena.r7.com/post/Artista-brasileira-assina-nova-colecao-da-Salvatore-Ferragamo

https://lorena.r7.com/post/Chloe-e-a-primeira-grife-europeia-a-receber-o-selo-B-Corp

https://lorena.r7.com/post/CA-fecha-parceria-com-PretaHub


A economia circular coloca sobre as partes interessadas o ônus de olhar além do atual modelo industrial de "pegar, fazer e descartar". A ideia é que roupas e outros produtos têxteis se tornem produtos valiosos e que durem o maior tempo possível, promovendo aluguel e revenda. 

Na proposta, os endereços físicos podem se tornar um lugar para os clientes se encontrarem, trocar ou revender roupas. Para isso, os produtos têxteis precisam ser feitos de materiais seguros, recicláveis e renováveis. 

Ainda que a jornada em direção à circulariedade na moda esteja apenas começando, o setor já fez progressos. Houve um aumento significativo na conscientização e compreensão das oportunidades de uma economia circular, algo que não existia há três anos atrás. 

 

(Foto destaque: Lojas de departamentos da Europa estão investindo em moda circular.Reprodução/Galeries Lafayette Group)

Deixe um comentário