Notícias

Jornalista da GloboNews enfrenta ministro das Comunicações ao vivo

A jornalista Natuza Nery, da GloboNews, enfrentou, em uma entrevista ao vivo, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, ao criticar a reação da população sobre os 500 mil brasileiros mortos pelo Coronavìrus.

3 min de leitura
22 Jun 2021 - 18h35 | Atualizado em 22 Jun 2021 - 18h35

Durante uma entrevista ao vivo na última segunda-feira (21), a jornalista da GloboNewsNatuza Nery, enfrentou Fábio Faria, ministro das Comunicações do governo Bolsonaro, após crítica referente aos 500 mil brasileiros mortos pelo Coronavírus. 

 

No último sábado (19), o Brasil bateu os 500 mil mortos por Covid-19, o que fez com que a população se revoltasse nas redes sociais contra o governo atual. Com isso, Faria criticou aqueles quem lamentam a marca atingida, afirmando que essas pessoas torcem pelo “quanto pior, melhor”. “Nunca os verão comemorar os 86 milhões de doses aplicadas ou os 18 milhões de curados”, disparou, afirmando ainda que essas pessoas “torcem pelo vírus”.

 

Repórter atacada por Jair Bolsonaro recebe apoio nas redes sociais: 'Obrigada pela coragem!'

 

Anitta critica o governo Bolsonaro

 

Juliette lamenta por seu pai e irmãos terem sido infectados pela Covid-19

 

Na entrevista para a jornalista Natuza Nery, Faria seguiu sua narrativa ao elogiar o presidente Jair Bolsonaro, dizendo que ele é eficaz na compra de vacinas e que a imprensa minimiza supostos feitos positivos do governo. 

 

“Eu entendo, Natuza. Parece que você está olhando para um espelho e olhando para outro. Qualquer fato positivo, quando é de um estado, ele tem importância. Quando vem do presidente… O fato é minimizado”, afirmou, adicionando ainda críticas a governadores e sugerindo que as novas cepas do coronavírus podem ter surgido durante as eleições de 2020.


Jornalista Natuza

 

Jornalista Natuza Nery. (Reprodução/Twitter)


 

Natuza, por sua vez, ficou por cerca de dois minutos desmentindo as falas de Faria: “Ministro, mas o senhor, o senhor disse coisas aqui que não batem com a realidade. Que o governo foi rápido: o governo não foi rápido. Muitas pessoas morreram, as vacinas podiam ter chegado aqui em dezembro. O governo não comprou vacina e muitas pessoas morreram, porque o governo nega a vacina, porque o governo acreditava numa tese estapafúrdia de imunidade de rebanho”. 

 

Ao longo de sua explanação, a jornalista ainda citou o fato da imprensa repercutir as marcas de mortes por Covid, em referência à crítica feita pelo ministro no último sábado. “Quando se atinge uma marca de 10 mil mortos, 20 mil, 100 mil, 400 mil, 500 mil, a imprensa precisa alertar. Porque o vírus está passeando sem nenhuma interrupção, sem que o governo faça o seu papel”, pontuou ela. 

 

 

(Foto destaque: Jornalista da GloboNews enfrenta ministro das Comunicações ao vivo. Reprodução/GloboNews).

Deixe um comentário