Saúde e Bem Estar

Gordura corporal pode diminuir quantidade de massa encefálica cinzenta

O excesso de gordura abdominal pode realmente deixar o seu cérebro menor? Um novo estudo descobriu que alguns tipos de obesidade levam a uma redução na massa cinzenta do cérebro e investiga sua associação com o risco de demência e derrame.

3 min de leitura
04 Ago 2021 - 16h11 | Atulizado em 04 Ago 2021 - 16h11

Existe uma associação entre sobrepeso ou obesidade e uma série de problemas de saúde.

Os riscos para a saúde da gordura da barriga não são novos. Muita gordura na circunferência abdominal tem sido associada a tudo, desde doenças cardíacas a certos tipos de câncer. Agora, uma pesquisa também descobriu que a o excesso de gordura abdominal pode afetar o cérebro poderia colocar você em maior risco de encolher o cérebro – potencialmente levando a problemas cognitivos no futuro, sugere um novo estudo.

Excesso de gordura abdominal pode afetar o cérebro.


(Foto: Reprodução/https:runnersworld.com.br)


Uma pesquisa publicada na Neurology analisou se a obesidade – definida pelo índice de massa corporal (IMC) e pela relação cintura-quadril – afetava a quantidade de matéria cerebral branca e cinzenta, bem como o volume geral, em várias partes do cérebro.

Pesquisadores analisaram medições físicas, pesquisas de saúde e resultados de ressonância magnética de cerca de 10.000 pessoas com idade média de 55 anos. Eles descobriram que, mesmo ajustando fatores que podem afetar o volume cerebral – pense em idade, tabagismo, níveis de exercício e pressão alta – aqueles com IMC elevado e uma alta relação cintura-quadril tiveram o menor volume de massa cinzenta.

Em comparação, aqueles com um IMC elevado, mas com uma relação cintura-quadril normal, tinham mais volume cerebral, mas ainda não tanto quanto aqueles com um IMC normal e uma relação cintura-quadril normal.

De acordo com o principal autor do estudo, Mark Hamer, Ph.D., da Universidade de Loughborough, na Inglaterra, isso significa que aqueles com mais gordura da barriga tendem a ter o menor volume cerebral.

 

https://lorena.r7.com/post/A-padronizacao-de-beleza-vem-afetando-a-saude-mental-das-pessoas

https://lorena.r7.com/post/Uso-excessivo-de-smartphones-prejudicam-o-sono-e-a-produtividade

https://lorena.r7.com/post/Como-os-alimentos-processados-podem-ser-altamente-prejudiciais-a-saude

 

Então, posso gastar esse peso extra para ter um cérebro maior?

Infelizmente, essa associação direta ainda não foi comprovada, segundo Hamer. Mas há definitivamente evidências de que o exercício físico pode melhorar a saúde do cérebro em geral.

Em parte, isso ocorre porque as pessoas que se exercitam regularmente também tendem a ter melhores hábitos de saúde que deixam o cérebro melhor. Elas, por exemplo, não fumam, consomem álcool de maneira moderada e têm uma dieta saudável.

 

 

(Foto em destaque: Existe uma associação entre sobrepeso ou obesidade e uma série de problemas de saúde. Reprodução/doutorjairo.uol.com.br)

Deixe um comentário