Esportes

Fim do sonho: Fluminense fica no empate em 1 a 1 e é eliminado da Libertadores

Tricolor dá aula em posse de bola mas peca na criação de grandes chances e fica no empate de 1 a 1 no Equador. O resultado trouxe a eliminação do Fluminense na libertadores pelo fator do gol fora.

3 min de leitura
20 Ago 2021 - 12h00 | Atulizado em 20 Ago 2021 - 12h00

Na noite desta quinta-feira (19), o tricolor tinha uma árdua tarefa para buscar a classificação às semifinais em Guayaquil. Devido ao empate por 2 a 2, no Maracanã, o Fluminense precisava da vitória ou de um empate de três ou mais gols para avançar de fase, além de uma grande atuação.  Mas o que se viu, foi um time com pouca diferente do que vinha apresentando na competição. Era preciso fazer jus ao apelido de “time de guerreiros” e pressionar com mais intensidade o campo do Barcelona, todavia, se viu muita posse, mas pouco volume e chances reais criadas.

 Roger machado manteve a escalação da última partida, na qual a equipe acabou sendo derrotada por 4 a 2 para o Internacional, trocando apenas Abel Hernández por Fred. Havia certa relutância da torcida pelo esquema de “três volantes” e a permanência de Ganso como titular, mas a formação parecia válida para a ocasião. Era necessário abandonar o esquema tradicional, tendo em vistas que os principais pontas Caio Paulista e Gabriel Teixeira estavam lesionados e a estrutura com pontas não rendia. Com a entrada de André, Yago Felipe teve mais liberdade para ir à frente e apoiar o ataque.

 


Fred, em partida contra o Bracelona de Guayaquil, pela libertadores da América. (Foto: Reprodução/Getty Images)


 O tricolor carioca até controlou bem as ações no primeiro tempo, foi para o vestiário com 72% de posse de bola, mas faltava criar chances reais. Apesar do desequilíbrio nos números, o Fluminense só veio a construir duas grandes oportunidades no jogo: um chute acrobático de bicicleta de Paulo Henrique Ganso – que após o lance lesionou o braço na queda e teve que ser substituído – e outra finalização de Samuel Xavier, depois de tabela com Yago, dentro da área, que foi defendida por Burrai.

 O Barcelona pouco incomodava, e, com o resultado favorável, esperava o Fluminense na tentativa de achar uma bola e liquidar a fatura. Foi o que aconteceu. Já próximo dos 30 do segundo tempo, o time da casa roubou a bola de Cazares, no meio de campo, Mastriani infiltrou na defesa tricolor, recebeu grande bola por cima e abriu o placar. O Fluminense foi para o desespero de buscar dois gols em quinze minutos, veio a conseguir um, com Fred, de pênalti, mas na altura já era o momento final da partida. Com o 1 a 1 o Barcelona se classificou pelo critério do gol fora, pois havia feito dois gols no Rio de Janeiro.

https://lorena.r7.com/post/Gabi-supera-artilharia-da-liberta-de-2019-e-trio-ofensivo-chega-a-202-gols-pelo-Flamengo 

https://lorena.r7.com/post/Eliminar-um-argentino-e-bom-mas-dois-e-historico-Galo-avanca-para-semifinal 

https://lorena.r7.com/post/Confusao-e-aglomeracao-Torcida-do-Atletico-MG-volta-ao-Mineirao-apos-529-dias 

 Era o fim do sonho tricolor de conquistar sua primeira libertadores, adiado desde o vice campeonato de 2008, contra a LDU. O capitão Fred lamentou a eliminação da equipe e admitiu que a primeira partida foi crucial para o resultado.

"Eles sobressaíram mais no jogo do Maracanã, fizeram dois gols na gente, e isso faz muita diferença nessa competição. Agora é curtir esse luto, a gente sonhou tanto com essa vaga, mas é felicitar o Barcelona e seguir nas competições que nos restam."

 O gol feito pelo camisa 9 não foi suficiente para levar o time as semifinais, mas o fez alcançar a marca de 25º gol (14 pelo Flu) em libertadores, se tornando o segundo maior goleador brasileiro da competição ao lado de Palhinha.

    


(Foto Destaque: Gabriel Texeira e Egídio. Reprodução/Getty Images)

Deixe um comentário