Cinema/TV

Diretor do primeiro 'Esquadrão Suicida' abre o jogo em declaração

Com o lançamento do novo Esquadrão Suicida dirigido por James Gunn, o diretor David Ayer abre o jogo sobre como foi sua experiência dirigindo o primeiro filme.

3 min de leitura
30 Jul 2021 - 16h49 | Atualizado em 30 Jul 2021 - 16h49

O primeiro filme do Esquadrão Suicida lançado pela DC/Warner não foi muito bem recebido pelo público e muito menos pelas críticas, ainda mais depois do tom do filme ser completamente diferente do apresentado pelo bem recebido trailer ao som de Queen. Então, apesar de ter feito 700 milhões de dólares na bilheteria mundial, o filme e, consequentemente, seu diretor receberam duras críticas, com David Ayer sendo afastado do projeto e com a continuação do longa sendo quase um reboot dirigido por James Gunn (diretor de Guardiões da Galáxia).


O primeiro Esquadrão Suicida (Reprodução/Twitter)


De lá para cá, Ayer já se pronunciou várias vezes sobre o que aconteceu com o filme. Disse que o estúdio picotou seu filme e que o corte original "os assustava", contendo cenas assustadoras do Coringa, com uma interpretação incrível de Jared Leto. O lançamento e sucesso do novo O Esquadrão Suicida de James Gunn trouxe os sentimentos sobre o filme de David Ayer de volta e um crítico, Tim Grierson, comentou no Twitter: "Muitas vezes enquanto eu assistia o filme pensei, "Pois é, David Ayer devia desistir da ideia de uma versão do diretor." Com isso, o próprio Ayer respondeu com uma longa e intensa declaração.


Winston Duke dublará Batman no audiodrama 'Batman Unburied'

Gavião Arqueiro: Kate Bishop será uma fã do vingador na nova série Disney+

Nova trilogia de 'O Exorcista' está a caminho


Ele fala sobre sua vida difícil antes de se encontrar no mundo do cinema e escrever o roteiro de Dia de Treinamento, filme aclamado que deu o Oscar de Melhor Ator para Denzel Washington. Quando chega no tópico Esquadrão Suicida, o cineasta afirma que "Eu pus minha vida em Esquadrão Suicida, fiz algo incrível. Meu corte é uma complexa e emocionante jornada com pessoas ruins que são desprezadas e descartadas (um tema que ecoa na minha alma). O corte do estúdio não é o meu filme. Leia isso de novo. E meu corte não é uma versão do diretor feita em 10 semanas, é uma edição madura feita por Lee Smith com o incrível trabalho de John Gilroy. Tem a trilha sonora brilhante de Steven Price, sem uma única música de rádio nela. Tem arcos de personagem tradicionais, performances incríveis, uma resolução sólida do terceiro ato".

O cineasta ainda menciona que chegou em casa de coração partido quando o estúdio tomou o controle de sua edição e elogia o diretor James Gunn (que respondeu o tweet de forma empática), dizendo que torce para ele, para a equipe e para a franquia, pois todo filme é um milagre. Ayer encerra afirmando que é a última vez que fala publicamente sobre o assunto.

Confira abaixo o post de David Ayer:



Em março desse ano a CEO da Warner Bros., Anne Sarnoff, já havia negado os pedidos de uma versão de Ayer, então é pouco provável que saibamos do que se tratava a visão original do diretor. Mas quem sabe com essa nova declaração os pedidos dos fãs sejam considerados novamente. 

Enquanto isso, o novo O Esquadrão Suicida estreia nos cinemas cinemas brasileiros no dia 5 de agosto.

(Foto de destaque: Imagem promocional de O Esquadrão Suicida. Reprodução/Twitter)

Deixe um comentário