Barbara Paz fala sobre sua sexualidade

Publicado 18 de Jul de 2021 às 13:00

Em maio, a atriz e cineasta Bárbara Paz virou manchete em todos os sites de celebridade ao declarar que se reconhece como pessoa não binária. Ela disse que não foi uma revelação e, sim, uma constatação. Que sempre foi uma mulher masculina na sua expressão, na maneira como se  mostrava à sociedade, uma mistura de gêneros. E sempre me sentiu parte da comunidade LGBTQIAP+ e nunca seguiu padrões heteronormativos. E ao conversar  com um amigo sobre o assunto, descobriu a palavra não binário, e constatou: “Acho que me encaixo aí”.


Barbara Paz. Reprodução/Marcus Sabah


Barbara confessou que nunca se apaixonou por mulheres, mas que que gosta e se apaixona por pessoas e esta aberta para o mundo e que o universo está a sua espera e ela se sente livre para voar.

Ela explicou que tem pessoas que precisam fazer a transição ou para o masculino ou para o feminino, e outras que convivem bem com os dois, que é o seu caso. Que não vai  mudar nada, gosta do seu corpo e está bem resolvida com a sua mulher e com o seu homem. Não imaginava tanta repercussão. Entendeu que a comunidade precisa de voz. Se ajudar quem está sofrendo com isso, vai se sentir honrada. E que sua fala não tem a ver com orientação sexual. Sempre se apaixonei por homens. Mas não vai se definir, que é multidão e não quero se fechar.

https://lorena.r7.com/post/SandyJunior-e-Lucas-se-vacinam-juntos

https://lorena.r7.com/post/Sheila-Mello-ganha-apoio-de-famosos-apos-polemica-sobre-video-de-danca

https://lorena.r7.com/post/Whindersson-Nunes-desabafa-sobre-morte-do-filho-prematuro-Doi-demais

Barbara falou sobre seu próximo trabalho: "Como atriz, estou no elenco da novela das seis “Além da ilusão”, que vai se passar nos anos 1940. Vou ser uma vilã. Também é uma volta mais leve, interessante. Nunca atuei nesse horário e adoro época. Fora isso, quero fazer um filme ou uma série sobre a minha vida. Também desenvolvi um roteiro com a Antonia Pellegrino de um filme chamado “Silêncio”, sobre uma bailarina que perde a audição. Aborda também outros silêncios, como o do abuso. Ano passado dirigi o curta “Ato”, com Alessandra Maestrini, para falar sobre  a solidão no mundo pandêmico. A direção está muito forte, abri portas lá fora. Sei que ainda sou um embrião perto dos gigantes, mas sou um embrião que deu certo", contou.

(Foto Destaque: Barbara Paz fala sobre sua  sexualidade/ Reprodução/Marcus Sabah)

Deixe um comentário