Celebridades

Wesley Safadão, Thyane Dantas e outras 6 pessoas são indiciadas no Ceará

O casal recebeu aplicação da primeira dose da vacina há dois meses, na Cidade de Fortaleza, no Ceará. Eles também estavam acompanhados da produtora musical do cantor Sabrina Tavares

3 min de leitura
01 Out 2021 - 01h40 | Atualizado em 01 Out 2021 - 01h40

O cantor Wesley Safadão e sua esposa, Thyane Dantas, foram acusados pela Polícia Civil por conta da vacinação feita de forma irregular em ambos. A ação foi promovida nessa quarta-feira (29) e o inquérito foi enviado ao Tribunal de Justiça (TJCE). Além deles, mais 6 pessoas estão envolvidas e foram denunciadas no caso. As penas, quando somadas, podem alcançar o número de 13 anos de prisão.

 Tudo começou no dia 8 de julho deste ano (2021). Safadão e Thyane se dirigiram a um shopping localizado no Estado do Ceará para se vacinarem contra a Covid-19. De acordo com o calendário, aqueles que estavam sujeitos a vacinação, nesse dia, eram as pessoas de 32 anos ou mais. O problema acontece quando revelam que Dantas, na verdade, tinha 30 anos. Ou seja, não estava apta para receber a vacina. O músico, no entanto, possuía 32 anos, podendo ser imunizado.

 


Thyane Dantas segurando a mão de Safadão no momento em que recebeu a vacina no dia 8 de julho. (Foto: Reprodução/Instagram)


 O que envolveu Safadão foi o fato dele ter se direcionado ao suposto shopping, quando, na realidade, deveria ter ido ao Centro de Eventos do Ceará. Como ele e a esposa se vacinaram no mesmo local e no mesmo dia, tornaram-se alvos da investigação a qual durou dois meses. A produtora musical do cantor, Sabrina Tavares, também estava no local junto de Safadão e Thyane, sendo, assim, procurada, já que deveria ser vacinada no mesmo lugar em que o cantor foi indicado.

 Após esse tempo, a polícia ouviu, ao todo, 19 pessoas na ocorrência. Dentre elas, estavam três servidores públicos da Secretaria da Saúde do Município (SMS) de Fortaleza, apontadas como “responsáveis pela vacinação do trio [Safadão, Thyane e Sabrina]”. Além desses profissionais, os acusados obtiveram a participação de mais duas pessoas para o sucesso do esquema. Essas não atuavam no governo municipal, segundo nota da Polícia Civil divulgada pelo G1.

Ficou caracterizado que a vacinação das três pessoas investigadas decorreu de um prévio ajuste entre elas, uma pessoa próxima ao cantor e uma outra pessoa, que por sua vez, possuía contato com os três servidores públicos, descartando a hipótese de coincidência despropositada e/ou falha, a título de culpa, das pessoas que trabalhavam no local”, disse a Polícia Civil, afirmando, ainda, que os três servidores agiram “de maneira voluntária e deliberada, sem qualquer tipo de ciência, autorização ou conivência por parte da SMS de Fortaleza”.

https://lorena.r7.com/post/Apos-cirurgia-para-retirada-de-tumor-Pele-recebe-alta-de-hospital

https://lorena.r7.com/post/Fatima-Bernardes-realizara-cirurgia-e-sera-afastada-do-Encontro

https://lorena.r7.com/post/Andressa-Suita-revela-estar-doente-junto-de-seus-filhos

 A vacinação na Cidade de Fortaleza ocorre a partir do cadastro em uma plataforma. Os moradores realizam a inscrição para serem imunizadas, com o local e horário sendo agendados pela própria prefeitura. Safadão e Sabrina teriam sido mandados para o Centro de Eventos, descumprindo a requisição, enquanto Thyane não tinha a idade adequada para o recebimento do imunizante no referido dia. O casal de artistas afirmou que Thyane Dantas foi ao local para receber as vacinas da “xepa” (sobra de imunizantes), sendo negados pela Prefeitura de Fortaleza, a qual confirmou que as doses da “xepa” não estavam sendo aplicadas no horário da imunização de ambos.



Foto Destaque: Wesley Safadão e Thyane Dantas. Reprodução/Instagram

Deixe um comentário