Money

Vice Presidente da Samsung deve ser liberado nesta sexta-feira após receber liberdade condicional

Vice Presidente da Samsung deve ser liberado nesta sexta-feira após cumprir parte de sua pena de 2 anos e 6 meses, ao ser preso por condenações que envolveram fraude, suborno e outras acusações.

3 min de leitura
10 Ago 2021 - 13h00 | Atulizado em 10 Ago 2021 - 13h00

Após cumprir parte de sua pena de 2 anos e 6 meses, o herdeiro e vice-presidente do conselho de administração da Samsung Electronics, Jay Y. Lee, 53 anos, que foi preso após condenações que envolveram fraude, suborno e outras acusações, se qualificou para receber liberdade condicional e deve deixar a prisão nesta sexta-feira, como informou o Ministério da Justiça da Coreia do Sul.

“A decisão de conceder liberdade condicional ao vice-presidente do conselho da Samsung Electronics, Jay Y. Lee, foi o resultado de uma revisão abrangente de vários fatores, como sentimento público e bom comportamento durante a detenção”, disse o ministério em um comunicado nesta segunda-feira.

 

https://lorena.r7.com/post/O-que-as-empresas-varejistas-estao-fazendo-para-expandir-na-pandemia

https://lorena.r7.com/post/Investidores-requerem-padroes-para-produtos-financeiros-sustentaveis

https://lorena.r7.com/post/Venezuela-cortara-cerca-de-seis-zeros-em-sua-moeda-para-evitar-o-aumento-da-inflacao


Jay Y. Lee, vice-presidente do conselho de administração da Samsung, chega a tribunal em Seul para audiência. Chung Sung-Jun/Getty Images


Condenado após subornar um amigo da ex-presidente da Coreia do Sul Park Geun-hye, Lee, em uma tentativa de unir a empresa Cheil Industries com a Samsung C&T,  recebeu uma sentença de 30 meses de reclusão.

O ministro sul-coreano, Park Beom-Kye, afirmou nesta segunda-feira que as atitudes do réu durante sua detenção, juntamente com o impacto econômico causado pela pandemia do coronavírus e o “sentimento público” são alguns dos motivos que contribuíram para a concessão da liberdade condicional do herdeiro. 

De acordo com a lei sul-coreana a qual proíbe que pessoas com certas condenações trabalhem para empresas locais pelo prazo de cinco anos, o vice-presidente ainda precisa que o Ministro da Justiça aprove seu retorno ao trabalho.  No entanto, especialistas jurídicos acreditam que, considerando as circunstâncias dos crimes, ele deve conseguir retornar ao seu cargo. A Samsung, por sua vez, ainda não comentou sobre o assunto. 

Apesar de sua condenação, a empresa apresentou números positivos no primeiro trimestre fiscal de 2021. Com um lucro líquido de US$ 5,4 bilhões, obteve uma alta de 46% se comparado ao mesmo período no ano anterior. O resultado partiu em função do bom desempenho nas vendas da divisão de eletrônicos e celulares da companhia. 

Apesar disso, o afastamento do executivo aconteceu em um momento que pode minimizar o crescimento da empresa. O primeiro obstáculo vem sendo que a empresa, segundo os analistas de mercado, está perdendo a “corrida” dos chips de alta tecnologia para a rival taiwanesa TSMC. 

 

Foto Destaque: Reprodução/ Chung Sung-Jun

Deixe um comentário