Money

Usuários do WeChat agora podem acessar links de rivais

A plataforma de mídia social da Tencent Holdings irá possibilitar o acesso a links externos de concorrentes. Para isso, os usuários terão que atualizar para a versão mais recente do WeChat.

3 min de leitura
20 Set 2021 - 15h47 | Atulizado em 20 Set 2021 - 15h47

A partir de agora, o aplicativo de mensageria WeChat permite que os usuários da plataforma acessem hiperlinks dos aplicativos concorrentes. A Tencent Holdings, gigante chinesa de tecnologia, anunciou a mudança na última sexta-feira (17), alguns dias após os reguladores terem dito à companhia e seus rivais para encerrarem esse bloqueio de links praticado entre eles. 

 


WeChat começa a permitir o acesso a links externos no app (Foto: Mikoto.rwa Photographer/Pexels)


 

A ordem foi dada pelo Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China (MIIT), que pretende, mediante a quebra desse muro entre as empresas, incentivar uma maior competitividade e estimular a livre concorrência no país. O principal motivo por trás dessa ordem foi o fato de que o bloqueio prejudicava a experiência dos usuários e desrepeitava os direitos do consumidor. Apesar dessa mudança, o mercado chines continua impedindo que serviços estrangeiros, como o Google e o Facebook, atuem no país. 

 

Segundo o comunicado divulgado pelo WeChat, a modificação no aplicativo ocorrerá em fases, começando com a autorização de acesso a links externos em bate-papos privados por parte dos usuários. Quanto aos grupos do chat, a plataforma afirmou que irá desenvolver outras funcionalidades para que os clientes possam escolher conforme as próprias preferências. A empresa ainda reforça que seguirá com a prevenção contra os excessos de marketing. 

 

Hailey é consolada por Bieber após ser recebida por fãs no Met Gala com gritos de “Selena”

 

A Fazenda: Equipe de Nego do Borel afirma que ele está sofrendo racismo estrutural no reality

 

Famosos lamentam a morte de Luis Gustavo

 

Anteriormente, era necessário entrar num navegador, como o safari da Apple, para abrir links externos repassados no aplicativo, algo considerado trabalhoso por boa parte das pessoas. O plano de mudança será realizado em conformidade com as exigências legais, proibindo ações que infrinjam leis e obtenham informações excessivas dos usuários. Além disso, um canal de denúncias será desenvolvido para que os consumidores possam relatar atos que desrespeitem as normas.

 

O combate ao bloqueio dos links faz parte da campanha regulatória do MIIT iniciada em julho, que tem como objetivo retificar a maneira como as grandes empresas de tecnologia do país operam. A campanha pretende corrigir uma gama de problemas presentes no mercado, com foco para o uso incorreto de dados dos usuários, ameaças à segurança de dados, entre outros. 

 

“Bloquear links de sites é uma das questões prioritárias de nossa campanha, e garantir o acesso normal a sites legítimos é um requisito básico para o desenvolvimento da Internet”, relatou o porta-voz do MIIT, Zhao Zhiguo, em uma entrevista coletiva. 

 

(Foto destaque: Zx Teoh/Pexels)






Deixe um comentário