Saiba administrar seus medos

Publicado 28 de Jan de 2021 às 12:59

Quem nunca teve medo de falar em público? Medo de ser rejeitado ou abandonado? Medo do novo, ou até medo de deixar o antigo ou recomeçar? Venho hoje mostrar para vocês que essa ferida emocional pode paralisar e impedir você de avançar em todas as áreas da sua vida.

Eu sou Leandro Cunha, e SE EU POSSO, VOCE PODE entender e administrar melhor os seus MEDOS.

 O que é o MEDO?

O medo é uma emoção comum e que é sentida por todas as pessoas, em diferentes momentos da vida. A Inteligência Emocional considera que existem dois tipos de medo:

·         Os medos reais, que nos protegem dos perigos;

·         Os medos irreais — que são criados pela mente e impedem que o indivíduo explore todo seu potencial.

O medo surge de um estado de ansiedade e, quando se manifesta, o organismo se prepara para uma possível reação. Há a liberação de determinados hormônios, que causam aceleração dos batimentos cardíacos, ressecamento dos lábios e contrações musculares involuntárias.

O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente. Pavor é a ênfase do medo.


ansiedade, medos, fobias, como diminuir os medosSeu coração tende a bater mais rápido quando exposto ao medo. (Foto: Reprodução/vectorjuice)


O medo é um estado de alerta extremamente importante para a sobrevivência humana. Uma pessoa sem medo nenhum pode se expor a situações extremamente perigosas, arriscando a própria vida, sem medir as possíveis consequências trágicas de seus atos.

 A origem do medo

Em meu livro O Método Fênix de Inteligência Emocional, (fundador da Fundação Brasileira de Inteligência Emocional — FBIE) afirmo que o primeiro medo sentido por um ser humano ocorre quando a pessoa ainda está na barriga da mãe.

“Um dos mais fortes sentimentos do ser humano é o medo da rejeição. A possibilidade de não atender ou superar a expectativa das pessoas dispara o nosso maior medo: o de ser rejeitado ou criticado. Esse processo tem origem na gestação: é cientificamente comprovado que os sentimentos, pensamentos e emoções dos pais são transferidos para o bebê durante a gestação e, assim, muitos medos manifestados na fase adulta podem ter sido gerados ainda no útero materno”, afirma o especialista.

Além do medo da rejeição, todos os outros medos sentidos pela mãe durante a gravidez são passados para o bebê: o medo de não dar conta da responsabilidade, a preocupação com o próprio corpo e com a saúde do bebê, o medo de desestabilizar a relação com o marido, o medo da nova rotina e até o medo do parto. O bebê não tem capacidade de compreender os significados desses medos, e acaba registrando a emoção como se fosse dele.


medo, ansiedade, fobia, como vencer seus medosO bebê registra muitas emoções passadas pela mãe antes mesmo de nascer. (Foto: Reprodução/wevebreakmedia_micro)


Medos reais e medos emocionais

 

Medos reais

 Os medos reais estão associados a situações que oferecem riscos reais — como o medo de se machucar ao saltar de paraquedas ou medo de ser demitido após expor suas opiniões pessoais na empresa.

Esses medos são agentes protetores, e não geram insegurança, pois não são capazes de interferir no sentimento de capacidade individual e são reais e concretos no risco oferecido. São esses medos que nos fazem pensar antes de agir, de tomar uma decisão ou de fazer uma escolha.

 Medos emocionais

Os medos emocionais dizem respeito ao temor de passar por alguma situação que possa provocar prejuízos emocionais — como medo de fracassar, de se frustrar, de ser rejeitado, criticado ou abandonado.

Um exemplo de situação no qual o medo emocional atua pode ser encontrado em pessoas que se sentem insatisfeitas em seus relacionamentos amorosos, mas insistem nesta relação que já não traz felicidade simplesmente porque têm medo da solidão.


ansiedade, medo, fobia, como vencer seus medos Muitas pessoas, por medo de ficarem sozinhas, preferem se manter num relacionamento ruim. (Foto: Reprodução/Freepik)


Como o organismo reage ao medo?

O medo é uma sensação em consequência da liberação de hormônios como a adrenalina, que causam imediata aceleração dos batimentos cardíacos. É uma resposta do organismo a uma estimulação aversivo, física ou mental, cuja função é preparar o sujeito para uma possível luta ou fuga. Antes de sentir medo, a pessoa passa pela ansiedade, que é uma antecipação do estado de alerta. Entre outras reações fisiológicas em relação ao medo, podemos citar:

►  O ressecamento dos lábios;

►  Empalidecimento da pele;

►  Contrações musculares involuntárias;

►  Tremedeiras, entre outros.

Em alguns casos, o organismo reage de forma exagerada ao medo, fazendo com que esse estado de alerta, benéfico em muitos momentos da vida, transforme-se em um estado patológico, quando o medo se transforma em fobia. A fobia se trata de uma antecipação do medo ou da ansiedade. Sua característica mais importante é o comprometimento da relação que o sujeito estabelece com o mundo que o cerca. No caso da fobia, o medo não prepara o indivíduo para decidir entre lutar ou fugir, ele o paralisa, impede que se relacione com o objeto de seu medo.


ansiedade, medo, fobia, como vencer seus medosO medo pode desencadear uma série de fatores que prejudicam a saúde do indivíduo. (Foto: Reprodução/Freepik)


Os medos emocionais despertam insegurança, e geralmente estão relacionados a um sentimento de incapacidade, inferioridade e não merecimento. Este tipo de medo é capaz de paralisar a vida do indivíduo, que passa a perder oportunidades, desistir de sonhos e afastar pessoas importantes.

Processos terapêuticos e treinamentos de Inteligência Emocional são ferramentas que trabalham os medos de maneira profunda, conduzindo o indivíduo à superação de cada um deles e trazendo coragem para que ele realize seus maiores sonhos.


ansiedade, medo, fobia, como vencer seus medos Alguns medos atrapalham a rotina da pessoa. (Foto: Reprodução/Stories)


O medo deve ser tratado?

Não se fala em tratamento para o medo, a não ser nos casos em que ele se torna irracional, como na fobia. Nesses casos, o tratamento mais conhecido em psicoterapia é a Dessensibilização Sistemática, que consiste numa aproximação sucessiva do sujeito em relação ao seu objeto de pavor.

Por exemplo, se uma pessoa desenvolve fobia em viajar de avião, a técnica propõe exposições que gradualmente se aproximam da viagem, como balançar, olhar para baixo de um andar alto, entrar em um avião estacionado, até que finalmente a pessoa aceite e consiga realizar a viagem. Não é um tratamento fácil, requer dedicação de paciente e terapeuta, mas mostra resultados bastante significativos.

7 dicas para superar os seus medos:

 

·         Aceite os seus medos. Uma das piores coisas que você pode fazer é negar que tem determinado medo. ...

·         Escreva sobre os seus medos;

·         Cultive pensamentos positivos;

·         Ressalte as suas vitórias;

·         Converse sobre os seus medos com amigos e familiares;

·         Foque na sua respiração;

·         Faça terapia.

 

Outros tratamentos são baseados em teorias, como as que propõem a origem do medo ou da fobia em traumas do passado, reais ou imaginários. Nesses casos, quando se consegue compreender o trauma em seus mais diversos significados, os medos tendem a diminuir significativamente. De qualquer forma, qualquer tratamento visa a diminuir a níveis normais ou mais equilibrados a resposta de alerta que o medo gera.

(Foto destaque: Algumas sensações de medo impedem as pessoas de realizarem diversas coisas. Reprodução/Drobotdean)

Deixe um comentário