Ricky Martin lastima por não ter oportunidades para atuar

Publicado 04 de Jun de 2021 às 12:30

Ao que tudo indica, o cantor e ator porto-riquenho Ricky Martin está sentido falta de atuar. Em entrevista à revista People lastima a falta de oportunidades. O ex Menudo está ansioso esperando uma chance para voltar a representar.

"Não sei se não estou conseguindo papéis porque sou gay. Mas, se for esse o caso, é muito triste. Vou continuar trabalhando até que a vida seja diferente", disse Martin.

O artista que começou a atuar nos anos 90 na série ‘General Hospital’, está inquieto com sua carreira no auge de seus 49 anos. Ele afirmou que sua participação na série foi difícil pois não conseguia se conectar com os membros do elenco. "Eu odiava ir lá todos os dias", disse.

Após todos os percalços, sua interpretação o expôs a mais telespectadores e ao fim de sua participação, se formou em uma escola de atores famosa por ter alunos como Demi Moore e Elizabeth Taylor.


Ricky Martin (Reprodução/Instagram)


Nos anos 90, Ricky participou do espetáculo da Broadway estrelando 'Os Miseráveis' e em 2012, 'Evita'. Os fãs da série 'Glee', devem se lembrar da performance do professor de espanhol latino e caliente interpretado pelo cantor.

O ano de 2018 foi um marco na vida de Martin ao conquistar uma indicação ao Emmy por seu papel de Antonio D’Amico em 'The Assassination Of Gianni Versace', produzida por Ryan Murphy. Mesmo não ganhando o prêmio, ele esperava receber mais ofertas para papéis de destaque e ao que tudo indica, continuará aguardando.

"Eu amo atuar. Estou esperando por esses roteiros, por esses ótimos roteiros. Posso interpretar gay, posso interpretar hétero, posso interpretar um serial killer. Posso tocar latim, mas também posso interpretar europeu. Estou pronto. Basta dar para mim", revela.

O cantor acrescenta "Eu só quero explorar qualquer coisa que tenha a ver com atuação. Eu amo teatro também. Quero contar uma história. É isso que eu quero. Quero contar uma história importante e quero mudar a maneira como as pessoas veem a vida em geral de uma forma mais otimista", declarou.

Ricky ainda guarda resquícios do trauma sofrido em 2000 quando sua sexualidade era questionada. A lembrança mais forte que ele tem é da entrevistadora Barbara Walters questionando-o sobre os boatos e sua postura invasiva ao insistir por uma resposta. 

https://lorena.r7.com/colunista/Martina-Froes/post/Genesis-anuncia-novas-datas-da-turne-norte-americana

https://lorena.r7.com/post/Em-comemoracao-aos-30-anos-de-Joyride-clipe-ganha-remasterizacao-em-4K

https://lorena.r7.com/post/Ariana-Grande-comemora-o-aniversario-de-5-anos-de-Dangerous-Woman-adicionando-duas-faixas-bonus-no-album

Mesmo com a esquiva do cantor em não querer se pronunciar, o momento ainda o 'assombra'. "Quando ela fez a pergunta, eu me senti violado porque eu simplesmente não estava pronto para assumir minha sexualidade. Eu estava com muito medo. Ainda há um pouco de estresse pós-traumático em relação a isso", relatou.

Em suas palavras, Martin disse que se pudesse mudar aquele momento, talvez teria tomado coragem e assumido que era gay naquela entrevista.

"Teria sido ótimo porque quando eu me assumi, foi maravilhoso. Quando se trata da minha sexualidade, quando se trata de quem eu sou, eu quero falar sobre o que eu sou feito, sobre tudo que eu sou. Porque se você esconde isso, é uma situação de vida ou morte", finaliza o ex Menudo.

 

(Foto destaque: Ricky Martin. Reprodução/Instagram)

 

Deixe um comentário