Saúde

Primeiro caso de covid-19 no mundo foi de vendedora em Wuhan, na China

Cientista norte-americano afirma que o primeiro caso de covid-19 do mundo ocorreu na cidade de Wuhan, na China, através de uma mulher que trabalhava em um mercado de animais.

3 min de leitura
19 Nov 2021 - 16h34 | Atulizado em 19 Nov 2021 - 16h34

Pesquisa publicada na revista científica Science revela que o primeiro caso de covid-19 no mundo foi de uma vendedora de um mercado de animais em Wuhan, na China. Os cientistas chegaram à descoberta após traçarem linha do tempo da doença. A pesquisa possui evidências de que o novo coronavírus teve origem animal.

O virologista Michael Worobey, do Departamento de Ecologia e Biologia Evolutiva da Universidade do Arizona, nos EUA, afirmou que o primeiro caso da doença é o da vendedora que trabalhava no mercado de animal e não do homem identificado na busca anterior, visto que ele nunca havia ido ao mercado de animais. O cientista elaborou uma linha do tempo dos primeiros casos confirmados de covid-19 na cidade de Wuhan, reunindo as informações a partir de notícias de jornais, hospitais e fontes. Para Michael, os dados colhidos são indícios de que a covid-19 é originária de um animal.

 

Maioria do internados por covid-19 no RJ é composta por pessoas não vacinadas

Ministério da Saúde autoriza dose de reforço contra a covid-19 para adultos a partir de 18 anos

Prefeitura do Rio volta atrás em flexibilização de uso de máscaras em academias


Em relação à descoberta, o cientista disse em entrevista ao jornal norte-americano New York Times que: “Nesta cidade (Wuhan) de 11 milhões de habitantes, metade dos primeiros casos está ligada a um lugar do tamanho de um campo de futebol. [...] Fica muito difícil explicar esse padrão se o surto não tiver tido início no mercado”.


Pessoas utilizando máscaras na China (Foto: Reprodução/IStock)


Desde o começo da pandemia, cientistas discutem sobre a origem da doença, na falta de comprovações definitivas. Worobey, inclusive, participou de um grupo com 15 especialistas que realizaram um artigo na revista científica Science no mês de maio que pedia a análise de vazamentos de um laboratório na cidade chinesa. Nesta quinta-feira, 18, Michael Worobey relata que sua possui “[...] fortes evidências em favor da origem da pandemia em um mercado de animais vivo”.

 

Foto Destaque: Chinês utilizando máscara contra a covid-19. Reprodução/IStock

Deixe um comentário