Esportes

Petrúcio Ferreira é o novo nome do esporte paralímpico

O lugar de destaque do esporte paralímpico brasileiro em atividade está vazio depois da aposentadoria de Daniel Dias, porém a corrida para ocupar a vaga começou e Petrúcio Ferreira está na liderança.

3 min de leitura
06 Set 2021 - 21h43 | Atulizado em 06 Set 2021 - 21h43

O lugar de maior destaque do esporte paralímpico brasileiro em atividade está vazio depois da aposentadoria do nadador Daniel Dias, porém a corrida para ocupar essa vaga já começou e o velocista Petrúcio Ferreira está na liderança. Mas como o paraibano é um dos melhores velocistas, não é uma surpresa. 

Com 24 anos ele já possui cinco medalhas em duas participações em Jogos Paralímpicos, dois pódios em Tóquio que lhe renderam uma medalha de ouro e uma de bronze, e três medalhas, uma de ouro e duas de prata,  nos Jogos do Rio 2016. 

Para Petrúcio, a prova de 400 metros não é a sua principal, até por exigir habilidades diferentes da prova de 100 metros, e não foi o foco na preparação dele. E mesmo sem ser o foco terminou em terceiro lugar, com o melhor tempo do que fez na Rio 2016 e desceu uma posição por conta do aperfeiçoamento dos adversários.  


Petrúcio Ferreira nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Foto: Marko Djurica/Reuters


Nos 100 metros na modalidade na qual chegou em Tóquio como campeão paralímpico, bicampeão mundial e recordista paralímpico e mundial, o paraibano teve que superar as limitações do próprio corpo uma semana antes ele sofreu uma ruptura grau 2 na coxa esquerda, Petrúcio correu e venceu em 10s53, novo recorde paralímpico.

A lesão me deixou inseguro, pensando se conseguiria entrar lá e fazer o que eu sabia, foi uma briga constante entre mente e corpo, a meta era melhorar meu tempo mas infelizmente não consegui. Mas dei o meu melhor e venci, além disso, continuo sendo o atleta paralímpico mais rápido do mundo”, falou Petrúcio. 

 

https://lorena.r7.com/post/Brasil-bate-o-recorde-de-medalhas-paralimpicas-em-Toquio-2020
https://lorena.r7.com/post/Entenda-como-o-Corinthians-arrecadou-milhoes-em-apenas-2-horas
https://lorena.r7.com/post/Caio-Ribeiro-revela-luta-contra-o-cancer-Tenho-certeza-que-ja-ganhamos-essa

 Em Paris, e evitando lesões, Petrúcio deve chegar no auge da forma física aos 27 anos, em condições praticamente ideais para derrubar o próprio recorde. Ele  confia que consegue correr em 10s20. Se realmente conseguir, provavelmente continuará como o homem mais rápido do mundo no esporte paralímpico e irá alcançar o tricampeonato paralímpico nos 100 metros.

 

 

(Foto de Destaque: Petrúcio Ferreira comemora como Usain Bolt. Reprodução: Daniel Zappe/CPB)

Deixe um comentário