Saúde e Bem Estar

Pesquisas apontam o uso de um gel promissor para o tratamento de câncer de pele

Uma pesquisa publicada na revista Clinical Cancer Research, aponta evidências de que um gel pode ser promissor para o tratamento de câncer de pele. Os testes feitos apresentam dados extremamente positivos.

3 min de leitura
12 Ago 2021 - 23h17 | Atulizado em 12 Ago 2021 - 23h17

Há décadas, a ciência busca avançar cada vez mais no tratamento do câncer. Atualmente têm-se estudado o uso de um gel inovador que vem se mostrando inovador para o tratamento do tipo mais comum de câncer de pele, o carcinoma basocelular. Os resultados de um ensaio clínico foram divulgados na revista “Clinical Cancer Research”.

 Ao ser detectado de maneira precoce, o carcinoma basocelular tem uma boa chance de sobrevivência e, na maioria das vezes, é tratado através de cirurgia, sendo muito eficaz para remover o tumor. Apesar disso, o procedimento cirúrgico pode levar a diversos efeitos colaterais e com complicações agudas e crônicas para a saúde, como cicatrizes, infecções, sangramentos.

“Os indivíduos que desenvolvem numerosos tumores podem ser submetidos a cirurgias repetidas, levando a severa fadiga cirúrgica, desconforto e desfiguração”, afirma Kavita Sarin, professora associada de dermatologia da Universidade de Stanford, localizada na Califórnia, e autora sênior do estudo publicado na revista.

“Fiquei com o pé na cova”, afirma homem que testou positivo para covid 43 vezes

Depressão infantil na pandemia: Uma em cada quatro crianças sofre, diz estudo

Queimar lixo: mau hábito brasileiro que prejudica a saúde e o meio ambiente

 O remerinostate (HDACi) inibe a histona deacetilade, atuando no bloqueio dos processos celulares que permitem a divisão das células cancerosas. O grande problema é que o HDACi pode causar diversos efeitos colaterais e tóxicos nas pessoas. Porém, os pesquisadores acreditaram que ao aplicar a droga em forma de gel para o tratamento de câncer de pele, os efeitos colaterais desapareceriam ou seriam mínimos.

 O gel foi testado em 30 pessoas com carcinoma basocelular. Com uma rotina de aplicação de 3 vezes por dia ao longo de seis semanas, os resultados se mostraram promissores. Entre os 33 tumores analisados, mais da metade apresentaram certo grau de resposta ao gel. O diâmetro dos tumores, em média, diminuiu 62%, além de que nenhum paciente constatou grandes efeitos colaterais adversos. Vale afirmar que os tumores que permaneceram foram removidos através de cirurgias, logo após os testes.

“Embora mais pesquisas sejam necessárias, nossos resultados sugerem que o remetinostato pode ser uma alternativa segura e promissora para o tratamento cirúrgico do carcinoma basocelular devido à alta taxa de respostas completas que observamos”, alegou Kavita.

 Vale a pena ressaltar, que o estudo ainda está em desenvolvimento, ou seja, ainda precisa passar por diversas avaliações e testes. Dessa forma, ainda se faz necessário alguns cuidados para combater o câncer de pele e o seu desenvolvimento.


(Foto: reprodução/ pexels)


“Intervenções simples como protetor solar, chapéu de aba larga, roupas de proteção solar e evitar a luz solar direta são altamente eficazes na redução do risco de desenvolver câncer basocelular”, disse Kavita.

 

(Foto destaque: Pesquisas apontam o uso de um gel promissor para o tratamento de câncer de pele. Reprodução/ pexels)

Deixe um comentário