Colunista

Melasma: entenda como controlar e prevenir este vilão

O Melasma não tem cura! Depois do clareamento é necessário manter o tratamento para a estabilização da doença. O Melasma é um distúrbio hiperpigmentar comum. É considerado uma doença multifatorial ou seja, pode ser causado por diversos fatores.

3 min de leitura
16 Ago 2021 - 17h30 | Atulizado em 16 Ago 2021 - 17h30

O Melasma é um distúrbio hiperpigmentar comum. É considerado uma doença multifatorial ou seja, pode ser causado por diversos fatores, tais como: calor, exposição solar, estresse, traumas na pele gerados por ácidos ou lesões, fatores hormonais e predisposição genética.

Aproximadamente 35% das mulheres brasileiras são acometidas por esta condição. A incidência é maior no sexo feminino e principalmente em pessoas morena e negras.

Esta doença caracteriza-se por desenvolver manchas amarronzadas na face, principalmente na testa, maçãs do rosto e buço. Pelo fato de ser uma doença multifatorial, o tratamento é sempre um desafio e exige um protocolo de técnicas associadas, porém, ainda não se conhece a cura definitiva para o melasma e sua recidiva é frequente.



Isis Valverde desenvolveu melasma durante o período da gravidez. (Foto: Reprodução/QUEM/Globo)


 

Entre os protocolos de tratamentos mais efetivos para o controle do Melasma, podemos citar:

             1.  Lasers: atualmente existe uma gama de lasers utilizados nos tratamentos do melasma. Os estudos mais recentes, apontam o Laser Lavieen como uma opção segura e eficiente sem o risco de desenvolver o efeito rebote. Além disso, o Lavieen também melhora a textura da pele, refina poros e atua no controle das rugas e linhas de expressão;

            2. Intradermoterapia: consiste no microagulhamento tradicional associado à infusão de ativos clareadores;

            3. Peelings: os peelings promovem a descamação da camada superficial da pele, gerando a renovação celular. Através deste mecanismo é possível clarear manchas e melhorar a textura da pele;

           4.  Skincare: associado aos tratamentos realizados em consultório é essencial o uso de ativos clareadores e ácidos específicos para o clareamento e estabilização das manchas, assim como a ingestão de antioxidantes orais.

 

Olheiras: qual o melhor tratamento?

Envelhecimento: como evitar?

Foxy Eyes: conheça o procedimento

 

Além da associação de técnicas de tratamento e da rotina de skincare, é importante seguir alguns cuidados para potencializar os resultados do tratamento. Veja a seguir as principais dicas para um resultado satisfatório:

            1.   Evitar calor diretamente na face, como banhos quentes, secador, sauna, churrasqueira, carro quente, calor do sol, vapor da limpeza de pele, depilação com cera quente. Tenha sempre água termal ou faça a aplicação de chá de camomila gelado.

            2.  Utilize filtro solar com FPS acima de 50 com base. Aplique por pelo menos 2 X por dia e sempre que sair de casa;

            3.  Cuidado com peelings, esfoliantes, sabonetes comuns ou processos que possam agredira a pele;

            4.  Inclua sempre antioxidantes ao tratamento, como por exemplo a vitamina C.

            5.  Lembre-se: cada organismo é único! Nem tudo o que funciona para sua amiga vai funcionar pra vc!

           6.  O Melasma não tem cura! Depois do clareamento é necessário manter o tratamento para a estabilização da doença.

 

 

 

Foto destaque: Mariana Goldfarb apresentou melasma após período de praia. Reprodução/QUEM/Globo

Deixe um comentário