Beleza

Lush abandona as redes sociais em respeito à saúde mental dos clientes

A Lush, marca de cosméticos sustentáveis, decidiu abandonar as redes sociais, por acreditar que as plataformas sejam prejudiciais à saúde mental dos seus clientes. A empresa busca novas alternativas para se comunicar com o público

3 min de leitura
02 Dez 2021 - 15h18 | Atulizado em 02 Dez 2021 - 15h18

Na última sexta-feira (26), o escritório do Reino Unido da Lush, marca de cosméticos sustentáveis, anunciou a decisão da empresa de deixar as redes sociais. Visando criar um alerta para os problemas de saúde mental que essas plataformas são capazes de causar, a Lush se despediu de suas contas no Facebook, TikTok, Instagram e Snapchat, deixando para os seus seguidores uma mensagem que os incentiva a buscar outras atividades. Os perfis no YouTube e Twitter permanecerão ativos até que a marca encontre novas alternativas para se comunicar com o público.

 

Skin care: Saiba mais sobre os diferentes tipos de ácidos

Skinificação capilar: conheça mais sobre o novo método de cuidado

Marcas aderem o uso da Cannabis, agora em linhas de skincare


A decisão foi impulsionada pelas recentes denúncias feitas por Frances Haugen, ex-funcionária do Facebook. Em uma série de vazamentos, ela revelou que a empresa detém dados que mostram que alguns dos seus aplicativos afetam negativamente a vida de seus usuários. Jack Constantine, o chefe de estratégias digitais da Lush, contou ao jornal The Guardian que não parecia correta uma situação em que o bem-estar dos clientes da marca estava sendo colocado em risco devido aos canais digitais usados para que a Lush pudesse se conectar com eles.

Através de um manifesto chamado “Global Anti-Social Media Policy”, a marca anunciou uma lista de prioridades que serão colocadas em prática em todos os 48 países em que ela atua e que passarão a guiar sua comunicação com os clientes. Um dos tópicos do manifesto promete que a Lush dará preferência para plataformas que não façam uso de algoritmos que têm o intuito de gerar engajamento para conteúdos negativos.


Fachada de loja da Lush (Foto: Reprodução/Getty Images)


Por enquanto, faz parte dos planos da marca administrar seu relacionamento com os clientes através do Twitter e também por meio de newsletters. Além disso, ela pretende investir em ativações em comunidades e eventos físicos. Mark Constantive, o CEO da empresa, informou que a Lush ainda pode retornar para as redes sociais, mas que para isso acontecer elas devem deixar de lado seus algoritmos viciantes. A Lush já manteve atividades no Brasil, mas decidiu encerrá-las em 2018. Na época, a marca alegou que uma das razões para sua saída era a crise financeira e política do país.

 

Foto Destaque: Interior de loja da Lush. Reprodução/Lush

Deixe um comentário