Money

Gemini e Bancolombia fazem parceria para liberar negociações de criptomoedas

Gemini se une ao maior banco da Colômbia com o intuito de permitir negociações de criptomoedas como bitcoins, litecoin, ether e bitcoins cash, esta ação promete gerar bons frutos para Gemini.

3 min de leitura
08 Dez 2021 - 20h22 | Atualizado em 08 Dez 2021 - 20h22

A corretora cripto norte americana, Gemini, sediada em Nova York, planeja uma parceria com o Bancolombia, maior banco privado da Colômbia, para permitir que os usuário Colombianos negociem criptomoedas e comprem cirptoativos diretamente se suas contas bancarias por meio da exchange Gemini que fornecerá infraestrutura cripto-específica para troca e custódia de ativos.

Apenas um grupo selecionado de usuários do Bancolombia terão essa oportunidade, apartir do dia 14 de dezembro as negociações de bitcoin, ether, litecoin e bitcoin cash entrarão em vigor através de uma plataforma exclusiva de negociação, anunciou a diretora de estratégia e desenvolvimento corporativo ds Gemini, Cyntia Del Pozo Garcia.

Essa parceria é recente porém faz parte de um programa que já existe a um ano e é patrocinado pelo governo do país, a ideia para essa parceria começou em Janeiro quando a Superintendência Financeira da Colômbia (SFC), o orgão fiscal financeiro do país anunciou que escolheu nove de 14 candidatas de criptomoedas para o projeto, entre elas a Gemini, Binance e a corretora mexicana Bitso.


                                   

                                                                                  Bandeira da Colômbia (Foto: Reprodução/Pixabay)


 A Gemini acredita que essa parceria poderá trazer bons frutos futuros para a empresa: “Acreditamos que a criptoeconomia pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento da América Latina, à medida que o interesse em blockchain e tecnologias inovadoras proliferam em toda a região.” afirmou. "A parceria também serve como um passo importante para a expansão estratégica da presença da Gemini na América Latina”, afirmou del Pozo García em um comunicado.

Isso se dá por que o Bancolombia além de ser o maior banco da Colômbia, é um banco comercial pertencente à holding Grupo Bancolombia, que tem operações na Colômbia, Panamá, Guatemala e El Salvador, e atende 17,8 milhões de usuários.

https://lorena.r7.com/post/Primeiro-album-de-Anitta-focado-para-o-mercado-internacional-sera-lancado-em-2022

https://lorena.r7.com/post/Doja-Cat-lanca-o-clipe-de-Woman-hit-do-album-Planet-Her

https://lorena.r7.com/post/Luisa-Sonza-ira-lancar-seu-novo-single-ANACONDA-o-no-Premio-Multishow


Os serviços de criptomoedas estão chegando cada vez mais fortes, em março, o banco mais antigo da Colômbia, Banco de Bogotá, também anunciou que também testaria estes serviços como parte do La Arenera. Um ano antes, em março de 2020, o Cointelegraph relatou que a América Latina é a região com o terceiro maior número de usuários de criptoativos no mundo.

 

Foto destaque: Moeda Bitcoin. Reprodução/Pixabay

Deixe um comentário