Notícias

França acusa Austrália de mentir

Presidente da França Emmanuel Macron acusa primeiro-ministro da Austrália de mentir. Acusação acontece após a Austrália decidir obter submarinos a partir da tecnologia americana, desistindo da compra bilionária de submarinos franceses

3 min de leitura
01 Nov 2021 - 15h30 | Atualizado em 01 Nov 2021 - 15h30

O presidente francês Emmanuel Macron acusou neste domingo (31), o primeiro-ministro australiano Scott Morrison de mentir sobre as negociações secretas entre Austrália, Estados Unidos e Reino Unido sobre uma aliança estratégia e militar (AUKUS), para rivalizar com a China na região do Indo-Pacífico. O anúncio da aliança foi responsável por fazer com que a Austrália cancelasse um contrato bilionário de compras de submarinos franceses.

A acusação surgiu nos corredores de uma cúpula do G20 em Roma, após um jornalista australiano perguntar a Macron "Acha que Scott Morrison mentiu para você?" "Não acho, eu sei", respondeu Macron, de acordo com um vídeo publicado nas redes sociais. 


Submarino nuclear do Reino unido. Aliança permite que Austrália construa um desses. (Foto:Reprodução/Ministério da Defesa)


 As relações entre Austrália e França afundaram depois que a Austrália abandonou um acordo de quase R$ 190 bilhões que assinou com a França em 2016 para construir 12 submarinos não nucleares. No último domingo (28), Macron acusou a Austrália de "traição" por ter se unido ao pacto militar com os EUA e o Reino Unido anunciado em setembro, a aliança fez a Austrália optar por uma frota de submarinos movidos a energia nuclear invés da compra de submarinos franceses que já estavam negociados com o governo francês

 

https://lorena.r7.com/post/Fim-das-restricoes-contra-Covid-19-em-Sao-Paulo

https://lorena.r7.com/post/Bolsonaro-discute-producao-de-vacinas-durante-reuniao-com-diretor-geral-da-OMS

https://lorena.r7.com/post/Salario-minimo-podera-aumentar-R100-em-2022-segundo-a-projecao-do-INPC


Entenda a Aliança estratégia e militar (AUKUS):

O pacto prevê "promover a segurança e a prosperidade" na região. Foi essa a definição que o o presidente dos EUA, Joe Biden; do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson; e do primeiro-ministro australiano, Scott Morrison; escolheram para falar sobre a aliança de segurança entre esses países. O anúncio aconteceu em Setembro, e abalou a confiança entre a França e Austrália, além de irritar o gigante asiático chines. 

A Aliança estratégia e militar, chamada de AUKUS, é a aliança de segurança entre os Estados Unidos, Austrália e Reino Unido no Indo-Pacífico (que inclui oceanos índico e Pacífico) com o objetivo de frear o avanço militar da China na região. O pacto militar AUKUS permite que a Austrália utilize tecnologia americana para fabricar submarinos de propulsão nuclear pela primeira vez; o acordo também inclui inteligência artificial, tecnologia quântica e cibersegurança. 

Em reação ao anúncio da Aliança, a embaixada da China em Washington acusou os três países de "mentalidade de Guerra Fria e preconceito ideológico." Um porta-voz da embaixada chinesa disse que "as nações não deveriam construir blocos de exclusão". Apesar de tudo, a Austrália garante que não tem a intenção de obter armas nucleares. No entanto, alguns analistas dizem que AUKUS pode ser o começo da primeira marinha global do mundo. 

 

Foto Destaque: Emmanuel Macron. Reprodução/Divulgação

Deixe um comentário