Celebridades

Exclusivo: Lourena e Lary falam sobre representatividade na indústria musical: ‘Em 2021 as músicas mais consumidas foram de homens’

Após lançarem o single 'Crazy', Lourena e Lary falam sobre a importância da representatividade feminina e sororidade na música, principalmente no rap.

3 min de leitura
18 Jun 2021 - 14h34 | Atualizado em 18 Jun 2021 - 14h34

Na última sexta-feira (18), as cantoras Lourena e Lary lançaram o single ‘Crazy’ em todas as plataformas digitais. A faixa começou a ser planejada após o primeiro encontro pessoal das duas artistas, que até então mantinham apenas uma amizade virtual. A colaboração delas, levanta ao público uma discussão sobre a representatividade feminina no mundo musical.

"Tudo gira em torno do público. Por exemplo, a gente se olhando como empresa, o que o público consome mais? Atualmente, se a gente for ver, tem diversas pesquisas que mostram que nesse 2021 as músicas mais consumidas foram de homens. Então, como que eu vou chegar em uma empresa querendo exigir mulheres cantando, sendo que as mesmas pessoas que exigem isso não estão dando credibilidade pra você quando você coloca lá a sua voz, sua cara a tapa, seu trabalho, seu investimento?”, diz Lourena, que é um nome de peso na indústria fonográfica e muito conhecida pela sua carreira no rap.


Lourena e Lary lançam o single 'Crazy'. (Foto: Divulgação)


"É difícil ser mulher, mas é mais difícil ainda as pessoas colocarem fé no que você faz. A maioria das pessoas que aparece fazendo, e não que faz, são homens. Então é uma busca incessante pra gente conseguir dar voz e representatividade que nós, de fato, merecemos e temos”, completa a artista.

 https://lorena.r7.com/post/Luan-Santana-fala-sobre-Juliette-nao-ter-participado-do-seu-novo-clipe 

https://lorena.r7.com/post/Joao-Gana-nova-aposta-para-o-elenco-de-Verdades-Secretas-2

https://lorena.r7.com/post/Xuxa-anuncia-seu-proprio-cruzeiro-tematico 

Por fim, Lary também falou sobre como é significativo ter a junção de duas mulheras com raízes no segmento do rap e do trap nacional, além de sororidade, rede de apoio entre mulheres, na música. “Ainda existe um machismo muito forte e enraizado tanto nas oportunidades quanto, até mesmo, nas letras das músicas. Mas vejo que, aos poucos, as mulheres no rap tem mudado esse cenário a partir de suas vivências, ganhando cada vez mais espaço e trazendo à tona assuntos necessários. É muito legal ver mulheres se apoiando, se divulgando, se enaltecendo e vendo que juntas conseguimos muito mais espaço na cena”, diz.

 

 

(Foto Destaque: Exclusivo: Lourena e Lary falam sobre representatividade na indústria musical: ‘Em 2021 as músicas mais consumidas foram de homens’. Reprodução/Ari Prensa).

Deixe um comentário