Tech

Empresas do ramo óptico se reinventam fazendo uso da tecnologia após fecharem as portas das lojas físicas devido à pandemia

Quatro empresas do ramo óptico utilizam a tecnologia para a fabricação de óculos. Por conta da crise sanitária ocasionada pelo Coronavirus, foi preciso reinventar-se. Somente no Brasil, houve um aumento considerável na fabricação de óculos.

3 min de leitura
07 Ago 2021 - 18h07 | Atulizado em 07 Ago 2021 - 18h07

Devido à intensidade social causada pela pandemia, empresas do ramo óptico investiram no uso da tecnologia para continuarem na ativa, após fecharem as portas das lojas físicas. Pensando na maneira de proporcionar comodidade e segurança para o cliente e, ao mesmo tempo, na qualidade da fabricação, tornou-se possível escolher a armação que melhor combina com a fisionomia, através do fornecimento da realidade aumentada, que simula a armação por meio de selfie, impressões 3D, até mesmo de filtros no Instagram. Tudo isso sem precisar sair de casa.

Ivan Cavilha, fundador da marca Yoface, produtora de óculos escuros e grau em impressão 3D, disse que: “Existe um potencial incrível com o mercado digital. Mesmo nas cidades onde as óticas foram consideradas um serviço essencial [e permaneceram abertas], a pandemia incentivou o consumidor a comprar de uma forma diferente, com o apoio da tecnologia, que contribuiu para um crescimento importante de inovações no segmento”.


O meio digital permite que as armações sejam feitas baseadas na fisionomia, através de self. Foto: Clínica Melissa Krindges/Reprodução.


Com o meio tecnológico cada vez mais acessível, mais a necessidade de cuidar da saúde ocular, é viável recorrer ao digital para escolher a armação mais estilosa e apropriada ao formato do rosto. Só no Brasil, houve um aumento significativo no faturamento da indústria óptica. Segundo a Abióptica — Associação Brasileira de Indústria Óptica —, de 2006 a 2017, aumentou de R$7,7 bilhões para R$21 bilhões, avançando em 172%.

https://lorena.r7.com/post/Diretor-de-inovacao-da-empresa-Multiplan-uma-das-maiores-na-industria-de-shoppings-centers-do-pais-cria-marketplace-de-artes-em-formato-digital

https://lorena.r7.com/post/Apple-aposta-em-parceiros-chineses-para-fabricar-os-iPhones-mais-recentes

https://lorena.r7.com/post/Venezuela-cortara-cerca-de-seis-zeros-em-sua-moeda-para-evitar-o-aumento-da-inflacao

Abaixo estão as quatro marcas que se reinventaram usando a tecnologia a seu favor, e obtiveram ganhos significativos, depois de fecharem as lojas físicas. São elas:

Yoface

Com a uso tecnologia e impressão 3D, além de utilizar matéria-prima para a impressão dos óculos, a Youface promete proporcionar o ajuste perfeito para o rosto. O CEO e fundador Ivan Cavilha informou que a tecnologia produz armações mais leves, flexíveis e resistentes. Os produtos são fabricados com pó de poliamida, chegando a pesar nada mais que 20 gramas.

O site da empresa conta com recursos que escaneia o rosto pela câmera do celular ou webcam. “Reconhecemos, com 90% de precisão, como é a fisionomia do cliente e conseguimos criar armações customizadas, que atendam às suas medidas específicas de nariz e distância naso-pupilar.”

Ray-Ban

Para melhor auxílio na hora de comprar, o site disponibiliza gratuitamente ferramentas capazes de personalizar os melhores modelos baseados no rosto do cliente, através da selfie capturada e enviada pelo próprio usuário.

Sério

A marca possui diversos modelos exclusivos pela metade do preço no mercado. “No site, os usuários escolhem quatro armações que gostariam de provar, e nós as enviamos para suas residências por apenas R$ 1. Depois de cinco dias, buscamos os produtos e o cliente pode comprar o seu preferido pelo site”, explica o CEO Rodrigo Latini.

Ui! Gafas

Após o procedimento de prova online, o cliente é transferido para o WhatsApp, onde será necessário enviar duas fotos do rosto. Em até 24h, especialistas farão simulação dos resultados, segundo as imagens que lhes foram enviadas.

Foto da capa: Pixabay/Reprodução.

Deixe um comentário