Tech

Apple aposta em parceiros chineses para fabricar os iPhones mais recentes

A multinacional Apple revelou, recentemente, que está trabalhando com um número maior de fornecedores chineses para produzir a linha mais recente de celulares.

3 min de leitura
07 Ago 2021 - 13h40 | Atulizado em 07 Ago 2021 - 13h40

 

A multinacional norte-americana Apple, responsável por produtos como o iPhone, iPad, Apple TV, Apple Watch e pela linha de computadores, Macintosh, revelou que está trabalhando com um número maior de fornecedores chineses para produzir seus aparelhos celulares mais recentes.

Segundo a agência de notícias britânica, Reuters, a “disputa tecnológica decorrente de uma guerra comercial com os Estados Unidos leva Pequim a fortalecer as empresas nacionais”.

Recentemente, a Apple já havia feito um alerta sobre a escassez de suprimentos, uma vez que as tensões comerciais entre os Estados Unidos da América e a China, juntamente da pandemia de Covid-19, ajudaram a intensificar a pressão nas cadeias globais de fornecimento.

Segundo o relatório apresentado pelo jornal econômico japonês, Nikkei, a Luxshare Precision montará, aproximadamente, 3% da série do Iphone 13, próximo lançamento da Apple. Além disso, a empresa chinesa, Lens Tech, ficará responsável pelo fornecimento dos invólucros de metal enquanto a Sunny Optical Tech Group, fornecerá as lentes da câmera traseira. O documento apresentado informa ainda que o BOE Tech também participará do fornecimento de peças.


 

Reuters/Leonhard Foeger

Foto: Reuters/Leonhard Foeger


Durante o mês de julho, o atual presidente-executivo da Apple Inc., Tim Cook, já havia informado que existiam algumas “pendências” e que seria difícil resolvê-las de maneira que todo o conjunto de peças pudesse ser obtido dentro dos prazos de entrega.

Diretor de inovação da empresa Mutiplan, uma das maiores na indústria de shoppings centers do país, cria marketplace de artes em formato digital

Bitcoin poderá ganhar uma super alta, mas ainda será superado, diz especialista

Brasileiro Brunno Di Olive na lista da nova geração de CEO's e Milionários Under 30

Para Tom Forte, analista da D.A. Davidson & Co, que trabalha com detecção e a análise de tendências de mercado, a Apple ainda está “puxando todas as alavancas que pode, do ponto de vista da academia de abastecimento global (incluindo a China) para minimizar a interrupção de suas vendas”.

Forte comentou ainda que Tim Cookie apresenta duas “partes”, numa delas ele é presidente e na outra, é diplomata e afirmou o atual presidente-executivo “provou ser capaz de permitir que a Apple continue a alavancar a China do ponto de vista da cadeia de suprimentos e gerar muitas receitas com a venda de produtos aos consumidores chineses”.

 

(Foto destaque: Florian Doppler/Pexels)

Deixe um comentário