Esportes

Em jogo disputado, Brasil e Argentina empatam pelas Eliminatórias da Copa

Brasil e Argentina se enfrentaram pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo do Qatar em 2022 e a disputa acabou no empate, em San Juan. A Seleção Brasileira já está classificada.

3 min de leitura
16 Nov 2021 - 22h50 | Atulizado em 16 Nov 2021 - 22h50

A Seleção Brasileira enfrentou a Argentina nesta terça-feira (16) e empatou em 0 a 0, na cidade San Juan. A partida válida pela 14ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo foi recheada de lances perigosos e polêmicos da arbitragem, como o esperado no maior clássico Sul-Americano. A equipe de Tite vive boa fase, é líder invicta e já está classificada para a Copa. A Argentina dependia de uma vitória para carimbar o passaporte para o Qatar, além de depender de uma série de resultados. 

 

Primeiro tempo - O jogo começou disputado entre as duas equipes, porém, a Seleção Argentina conseguia se aproximar com mais facilidade do gol de Alisson. Sob vaias da torcida rival, a Seleção Brasileira se organizava na área, trocando passes com o goleiro brasileiro. Aos sete minutos, Messi e Di María trocaram passes e o camisa 11 tentou marcar da primeira área mas a bola foi direto para as mãos de Alisson. 

Aos 10', a Argentina mantinha maior posse de bola, aproveitando que a equipe brasileira lidava com a dificuldade na saída de bola. Aos 12', Vini Jr., puxa grande contra-ataque que gera o lance de maior perigo do Brasil, porém, o atacante perdeu o controle da bola, que saiu pela linha de fundo. 

No minuto seguinte, Vini Jr., foi responsável pelo primeiro lance polêmico envolvendo a arbitragem. Num lançamento recebido pela esquerda, o atacante brasileiro não conseguiu alcançar a bola e Romero faz falta dura em marcação pelas costas do atacante, mas o árbitro considerou como lance normal e mandou seguir. 

Aos 16 minutos, Vini Jr. fez a primeira finalização da partida depois de receber lindo passe de Paquetá. Vini ficou frente a frente com o goleiro mas errou na tentativa de uma cavadinha, deixando o marcador zerado. A segunda finalização perigosa brasileira foi aos 18 minutos, quando Cunha arriscou antes da área, aproveitando que o goleiro argentino estava adiantado. A bola arrastou no travessão. 

A partida continuou quente para ambos os lados, que tentavam atacar porém pecavam nas finalizações. Messi avançava constantemente até o gol de Alisson mas suas tentativas eram travadas pela zaga brasileira. 

Aos 33', o lance polêmico do jogo se deu quando Raphinha recebeu uma bola pela direita e Otamendi acerta o braço no rosto do atacante brasileiro na tentativa de marcação. Em seguida, o jogo foi parado devido ao sangramento na boca de Raphinha e a confusão se estendeu com a parcialidade do juiz, que não marcou falta e não deu cartão para o zagueiro argentino.O VAR fo acionado mas o juiz permaneceu na decisão. 

 

 

Até o fim da primeira etapa, os nervos das duas equipes continuavam à flor da pele. Os dois atacavam constantemente e também faziam entrada duras no rival - que nem sempre geravam faltas. Aos 44', o clima ficou ainda mais tenso quando Paquetá e Paredes se desentenderam e os dois receberam cartão amarelo. 

Raphinha saiu de campo ainda sangrando e segundo o Departamento Médico Brasileiro, é provável que o atacante leve alguns pontos no vestiário. 

Segundo tempo - A primeira informação recebida na entrada dos jogadores foi que Raphinha precisou levar cinco pontos no queixo mas ainda assim, voltou para o campo. 

Brasil se prepara para enfrentar a Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Catar 2022

Neymar sente incômodo muscular e está fora do jogo contra a Argentina

Com a Itália na respecagem, Mancini demonstra confiança e diz: "Talvez até ganhemos a final da copa"


 

Já aos 4 minutos, Romero recebeu cartão amarelo por falta dura em Matheus Cunha e logo foi substituído por sentir a coxa. A Seleção Brasileira permaneceu como no início do primeiro tempo, trabalhando a bola apenas na defesa e trocando passes com o goleiro. 

Aos 19', Vini Jr. deu linda carretilha em Molina e passou para Paquetá, que tentou marcar o gol mas pegou mal. Matheus Cunha tentou descontar mas foi para fora. Aos 24 minutos, Alisson quase vacilou, dando uma grande chance para a Argentina na tentativa de domínio de bola com os pés mas conseguiu tirar para a linha de fundo. 

 

 

Aos 26', o Brasil abriu mais uma grande chance de gol com Vini Jr. Depois da recuperação de bola de Antony - que entrou no lugar de Raphinha -, Danilo cruza rasteiro para Vini, que dominou pela esquerda e tentou marcar, mas Martínez defendeu. 

O clima voltou a esquentar aos 30 minutos, quando Acuña fez falta por trás de Antony e tentou levantá-lo a força. O atacante brasileiro tentou encarar o lateral argentino, que força uma queda e leva um cartão amarelo logo depois. 

O jogo continuou em chamas, com poucas chances de gol para as duas Seleções e muitas faltas. Até o fim dos acréscimos, Brasil e Argentina brigavam e tentavam criar chances mas paravam nas defesas. No entanto, o jogo terminou empatado e o a Seleção Brasileira permanece tranquila na liderança com 35 pontos. A Argentina fica em segundo lugar, com 29, dependendo da derrota de Chile, Colômbia e Uruguai. 

 

Foto: Seleção Brasileira. Lucas Figueiredo/CBF

Deixe um comentário