Esportes

Em Brasil x Argentina que durou apenas cinco minutos, saúde pública vence

Partida entre Brasil x Argentina, no último domingo (5), ficou marcado pela interrupção de agentes da Anvisa aos cinco minutos do primeiro tempo. Quatro atletas argentinos não cumpriram a quarentena obrigatória.

3 min de leitura
07 Set 2021 - 18h56 | Atulizado em 07 Set 2021 - 18h56

Todo o país na frente da televisão para acompanhar um dos maiores clássicos entre seleções, Brasil x Argentina, mas o jogo desse último domingo (5) ficará marcado de forma vergonhosa na história do futebol. Aos cinco minutos do primeiro tempo, agentes da Anvisa entraram no gramado da Neo Química Arena com o intuito de paralisa a partida devido a quatro jogadores da seleção argentina terem vindos da Inglaterra e não cumprirem a quarentena para disputar o confronto.

Os atletas irregulares eram o goleiro Emíliano Martinez, o zagueiro Cristian Romero, o valante Giovani Lo Celso e o meio campo Emiliano Buendia estavam no estádio mesmo com a Anvisa horas antes da partida emitir um comunicado no qual dizia sobre o risco dos jogadores participarem do confronto. "Risco sanitário grave, e por isso orientou às autoridades em saúde locais a determinarem a imediata quarentena dos jogadores, que estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro". Valendo ressaltar que Martinez, Romero e Lo Celso estavam no time titular.


Agentes da Anvisa invadem o campo no jogo entre Brasil x Argentina. Foto: Reprodução/Bruno Cassucci/GEAgentes da Anvisa invadem o campo no jogo entre Brasil x Argentina. Foto: Reprodução/Bruno Cassucci/GE


https://lorena.r7.com/post/Entenda-como-o-Corinthians-arrecadou-milhoes-em-apenas-2-horas

https://lorena.r7.com/colunista/Andre-Luiz/post/De-onde-vem-o-dinheiro-do-Atletico-MG-mesmo-devendo-valor-astronomico

https://lorena.r7.com/colunista/Andre-Luiz/post/GP-da-Belgica-chuva-paralisa-a-prova-Max-Verstappen-ganha-sem-dar-uma-volta-e-encosta-em-Hamilton-na-lideranca

De acordo com a Anvisa, os quatro argentinos alegaram não ter tido passagem por nenhum dos países onde a restrição de 14 dias são obrigatórias, e dentre esses países se encontra a Inglaterra. Os jogadores chegaram ao Brasil, no aeroporto de Guarulhos, em voo vindo de Caracas, após jogar e vencer da Venezuela por 3 a 1. Entretanto, foram feitas denúncias para Agência de supostas declarações falsas dos atletas.

 

Por que a Anvisa paralisou o jogo?

O governo comunicou no dia 23 de junho no Diário Oficial da União algumas alterações para a entrada de viajantes estrangeiros no Brasil que venham de países como Irlanda do Norte, Índia, África do Sul e Inglaterra. Mediante as novas regras, ficou decidido que a entrada de qualquer estrangeiro que veio diretamente ou teve passagem pelo Reino Unido deverá cumprir quarentena de 14 dias, devido ao grade avanço da variante Delta do coronavírus. E os quatro jogadores argentino atuam na Premier League, liga inglesa, e jogaram entre 28 e 29 de agosto.


 Na foto, jogadores argentinos Nicolas Otamendi, Giovani Lo Celso e Emiliano Martinez, os dois últimos acusados de não cumprirem a quarentena. Foto: Reprodução/AP/Andre Penner Na foto, jogadores argentinos Nicolas Otamendi, Giovani Lo Celso e Emiliano Martinez, os dois últimos acusados de não cumprirem a quarentena. Foto: Reprodução/AP/Andre Penner


Junto do Governo Federal, a CBF em apoio à AFA e à Conmebol garantiram um acordo para que a entrada dos atletas fossem autorizadas, e não atoa o técnico da seleção argentina Scaloni escalou Emiliano Martínez, Cristian Romero e Giovani Lo Celso entre os titulares, sendo que os quatro vieram da Inglaterra há menos de 14 dias. Até o momento esse acordo não foi confirmado por fontes do governo.

Durante a transmissão da TV Globo, o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, disse que ocorreram vários descumprimentos por parte da seleção argentina. "Chegamos a esse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou antes não foi cumprido. Esses jogadores tiveram orientação de ficarem isolados para serem deportados. O isolamento poderia ser até mesmo no hotel. Mas isso não foi cumprido. Eles entraram em campo ainda. Há uma sequência de descumprimentos", disse ao vivo.

A CBF, em nota, disse "lamentar profundamente" a interferência na partida e ainda afirmou que "ficou absolutamente surpresa com o momento em que a ação da Agência Nacional da Vigilância Sanitária ocorreu, com a partida já tendo sido iniciada, visto que a Anvisa poderia ter exercido sua atividade de forma muito mais adequada nos vários momentos e dias anteriores ao jogo”, disse a Confederação Brasileira de Futebol.

 

E Agora o que acontecerá?

A Conmebol comunicou em nota que o árbitro e o comissário da partida irão enviar um relatório ao Comitê Disciplinar da FIFA, que será quem vai decidir os próximos passos a serem seguidos em uma nova realização do jogo ou uma punição a seleção argentina. Caso seja determinado que a Argentina abandonou a partida e foi culpada da confusão, a vitória irá para o Brasil por 3 a 0.  Porém caso a decisão seja que o confronto não continuo por falta de condições dadas pelo Brasil, a Argentina será a vencedora.

Ainda existe uma outra alternativa, que seria o confronto ser recomeçado caso a FIFA decida que a paralisação foi devida a "força maior", a partida será retomada a partir do tempo em que foi paralisada, aos cinco minutos da primeira etapa.

 

 

(Foto destaque: Em Brasil x Argentina que durou apenas cinco minutos, saúde pública vence. Reprodução/Estadão Conteúdo)

Deixe um comentário