Saúde e Bem Estar

EUA libera 3ª dose da Pfizer para idosos acima de 65 anos

Nos Estados Unidos, foi autorizada a vacinação da 3ª dose de reforço da vacina Pfizer contra a covid-19 em idosos acima de 65 anos e em pessoas com comorbidades.

3 min de leitura
24 Set 2021 - 15h11 | Atulizado em 24 Set 2021 - 15h11

Após a liberação de uso permanente para a vacina contra a covid-19 fabricada pela Pfizer em parceria com o laboratório BioNTech, a Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) concedeu a aplicação da 3ª dose da vacina Pfizer/ BioNTech em idosos acima de 65 anos e em pessoas com comorbidades. A dose de reforço também será aplicada em professores, profissionais da saúde e pessoas desabrigadas. Em nota, a diretora da FDA disse: “A decisão de hoje demonstra que a ciência e os dados atualmente disponíveis continuam a orientar a tomada de decisões da FDA para as vacinas contra a covid-19 durante esta pandemia”.

 

Vacina da Pfizer é aprovada nos EUA

No Japão, homem afirma dormir apenas 30 minutos por noite

Redes sociais: Você pode estar viciado


A FDA não informou se as pessoas que não se vacinaram com as duas doses do imunizante Pfizer/ BioNTech poderão tomar a dose de reforço. Além do imunizante Pfizer/ BioNTech, o país utiliza os imunizantes fabricados pela Moderna e pela Johnson & Johnson. O vice-diretor da FDA, Doran Fink, afirmou que a instituição não possui dados suficientes para aprovar a 3ª dose da vacina Pfizer/ BioNTech em pessoas que foram vacinas com imunizantes de outras empresas, como a Janssen, vacina de aplicação única fabricada pela Johnson & Johnson, por exemplo.


Imunizante Pfizer/ BioNTech. (Foto: Reprodução/ PixaBay)


“Não há dados disponíveis para informar a intercambalidade de uma dose de reforço de uma vacina com a série primária de outra vacina”, afirmou Doran durante a reunião do Comitê Consultivo de Práticas de Imunização dos EUA. Aproximadamente 60% da população estadunidense recebeu pelo menos uma das doses das vacinas e mais de 50% já está totalmente imunizada. Os EUA é o país com maior número de casos confirmados e de mortes devido à covid-19, com 37,7 milhões e 628 mil, respectivamente.

 

Foto Destaque: Fachada da empresa Pfizer. Reprodução/ Pfizer

Deixe um comentário