Bem Estar

Covid: Prevent Senior teria ocultado número de mortes em um estudo sobre a cloroquina

Documentos entregues para CPI apontam para irregularidades em estudos feitos pela Prevent Senior, que apesar de divulgar dois participantes mortos, teria, na verdade, cinco óbitos.

3 min de leitura
16 Set 2021 - 20h08 | Atualizado em 16 Set 2021 - 20h08

Mortes de pacientes que participaram de um estudo com o objetivo de testar a eficácia da hidroxicloroquina e anitromicida para o tratamento da Covid-19 teriam sidos ocultados pelo plano de saúde Prevent Senior. Tal informação foi dada através de um dossiê apresentado pela Globonews. A documentação, que fora enviado para a CPI da Covid, apresenta denúncias feitas por médicos e ex-médicos da Prevent de uma série de irregularidades. O documento ainda indica que o uso da cloroquina foi um desdobramento de um acordo feito entre a Prevent e o governo Bolsonaro.

Entre os documentos, existe uma mensagem onde o diretor da Prevent, Fernando Oikawa, teria orientado seus subordinados a não avisar nem aos pacientes tampouco aos familiares a respeito do uso da medicação.

Dores relacionados à problemas de postura têm sido cada vez mais frequente

Entenda um pouco mais sobre o linfoma, câncer no sangue que na maioria das vezes acomete pessoas adultas

Dr. Mateus Zafanella é considerado um dos melhores especialistas em 'Harmonização Facial' do Brasil

De acordo com a documentação publicada, nove participantes do estudo morreram e, entre eles, seis estavam no grupo que ingeriu hidroxicloroquina e azitromicina, o que entra em contradição com o primeiro documento relativo ao estudo divulgado em 15 de abril de 2020, que mencionou apenas duas mortes entre aqueles que estavam usando o medicamento. De acordo com este artigo, publicado pelo coordenador do estudo e diretor da Prevent Senior, Rodrigo Esper, os óbitos foram desencadeados por outras doenças, sem quaisquer relações com o coronavírus ou a medicação.


(Foto: Covid: Prevent Senior teria ocultado número de mortes em um estudo sobre a cloroquina. Reprodução/ pexels)


O Presidente Jair Bolsonaro publicou, em seu twitter, no dia 18 de abril, três dias após a primeira divulgação do estudo, uma menção citando cinco mortes de pacientes que não fizeram uso da hidroxicloroquina, reforçando, também, a inexistência de óbitos entre aqueles que tomaram o medicamento.

O diretor executivo da operadora de saúde Prevent Senior, Pedro Benedito Batista, tinha um depoimento na CPI da Covid previsto para esta quinta-feira (16). Porém, ele não compareceu e seus advogados alegaram que não houve tempo hábil para viabilizar a presença do executivo à sessão.

 

Foto destaque: Covid: Prevent Senior teria ocultado número de mortes em um estudo sobre a cloroquina. (Reprodução/ pixabay)

Deixe um comentário