Bem Estar

Coronavac possui proteção acima de 90% em pessoas com comorbidades

Recente estudo do Instituto Butantan, realizado em Manaus, revela que a vacina coronavac possui mais de 90% de eficácia contra a covid-19 em pessoas com comorbidades que tomaram as duas doses do imunizante.

3 min de leitura
17 Set 2021 - 17h10 | Atulizado em 17 Set 2021 - 17h10

Estudo do Instituto Butantan realizado em Manaus apresenta primeiros resultados sobre a eficácia da vacina em pessoas com comorbidades. Cerca de 5 mil pessoas com comorbidades que tomaram as duas doses da vacina Coronavac participaram do estudo. De acordo com os dados apresentados, apenas 0,1% das pessoas que participaram da pesquisa foram ser hospitalizadas por conta de complicações da covid-19. Apelidado de CovacManaus, o estudo contou com adultos voluntários na faixa etária entre 18 e 49 anos que trabalham na segurança pública e na educação da capital amazonense. Foram aplicadas aproximadamente 10 mil doses da vacina e dentre estas pessoas, 54% tinham diabetes, 36% hipertensão arterial, 72% obesidade e 27% iminossuprimidos.

Vacina da Pfizer é aprovada nos EUA

Misofonia: você pode sofrer e não sabe

Variante delta avança e sintomas parecem com resfriado

“É importante lembrar que a população vacinada no estudo é de pessoas que apresentam comorbidades, portanto esperávamos uma quantidade maior de infectados, hospitalizados e óbitos entre esses mais de 5 mil participantes”, afirmou o médico infectologista e coordenador do projeto Marcus Lacerda. O médico contou ainda que a próxima etapa é a coleta de exames, em que poderá ser analisado se existe a necessidade de aplicação de doses de reforço nestas pessoas. Em nota à imprensa no dia 18 de agosto, o Ministro da Saúde Marcelo Queiroga recomendou uma dose extra da vacina fabricada pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac para ser aplicada em pessoas idosas e com comorbidades.


Dose do imunizante Coronavac. (Foto: Reprodução/ Instituto Butantan)


Nesta quarta-feira, 15, o Instituto Butanan chegou a marca de 100 milhões de doses da vacina entregues ao Programa Nacional de Imunização (PNI), através no Ministério da Saúde. O atual contrato do Instituto Butantan com o Ministério da Saúde encerrou neste mês de setembro e previa o total de 100 milhões de doses entregues. Em nota à imprensa no dia 18 de agosto, o Ministro da Saúde Marcelo Queiroga recomendou uma dose extra da vacina fabricada pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac para ser aplicada em pessoas idosas e com comorbidades.

 

Doses da vacina coronavac. Foto Destaque: Reprodução/ GettyImages

 

 

Deixe um comentário