Notícias

Cadeirante é expulsa da CASACOR após reclamar da falta de acessibilidade

Nathalia Blagevitch, que tem paralisia cerebral, relata que foi repreendida e acompanhada por uma funcionária até a saída da mostra de decoração promovida pela Casacor e chamou a polícia até o local.

3 min de leitura
25 Out 2021 - 08h00 | Atulizado em 25 Out 2021 - 08h00

A advogada Nathalia Blagevitch, de 30 anos, que tem paralisia cerebral e usa cadeira de rodas, afirma ter sido destratada e convidada a se retirar do evento Mostra de Design e Arquitetura CASACOR, que aconteceu no último sábado (23) em edifício anexo ao Allianz Parque, em São Paulo. 

A advogada relata que, ao comprar os ingressos via internet para ela e sua acompanhante, pagando R$50 reais em cada, sinalizou que era deficiente, porém, ao chegar no evento e procurar por elevadores, foi informada que eles estavam danificados por conta de uma queda de energia e por isso foram paralizados. O único disponível para uso, o elevador de carga, só dava acesso ao último andar da mostra.


Nathalia Blagevitch visitando Mostra de Decoração da Casacor. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)


Segundo Nathalia, uma funcionária anotou seus dados e disse que ela poderia retornar em outro dia ou receber reembolso pelo valor pago na entrada. Quando estava indo embora, avistou uma mulher com carrinho de bebê e uma idosa com bengala e avisou-as que, se não estivessem acompanhadas por alguém que pudesse transportá-las aos outros andares, era melhor irem embora pois não conseguiriam acessar os outros andares do evento.

Uma funcionária, ao ouvir a conversa, mandou a advogada calar a boca, chamou-a de mentirosa e a convidou a se retirar do evento. Ao procurar por algum responsável pelo evento, foi informada que não havia ninguém no local, quando resolveu chamar a polícia.

https://lorena.r7.com/post/Terremoto-de-magnitude-65-atinge-o-nordeste-de-Taiwan

https://lorena.r7.com/post/Predio-desaba-e-deixa-um-morto-e-tres-feridos-em-municipio-do-Rio-de-Janeiro

https://lorena.r7.com/post/Brasil-atinge-a-marca-de-51-da-populacao-completamente-vacinada-contra-a-COVID-19


A polícia, ao chegar no local, afirmou que não poderiam fazer nada pois nenhum crime tinha sido cometido e orientou Nathalia a abrir um Boletim de Ocorrência pela internet. A advogada fez o B.O e pretende oficializar a denúncia na Delegacia de Polícia da Pessoa com Deficiência.  

 

Foto destaque: A advogada Nathalia Blagevitch em mostra da Casacor, onde relata ter sido chamada de mentirosa e ser expulsa por funcionária. Reprodução/Arquivo Pessoal

 

Deixe um comentário