Saúde e Bem Estar

Automedicação: 77% dos brasileiros utilizam medicamentos sem prescrições médicas

Em uma pesquisa feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), foi revelado que 18% das mortes por envenenamento no Brasil podem ser causadas devido ao mal uso de medicamentos. Além disto, a automedicação irresponsável de remédios c

3 min de leitura
27 Jul 2021 - 16h00 | Atulizado em 27 Jul 2021 - 16h00

 

O hábito da automedicação sempre esteve muito presente na vida de muitos brasileiros. Como exemplo, podemos citar o simples ato de ir à farmácia comprar um remédio após um mal-estar. Esta atitude que por muitas pessoas é vista como inofensiva, pode causar sérios danos à saúde quando feita regularmente.

Em 2020, surgiram inúmeros boatos sobre o uso de hidroxicloroquina e vermífugos como forma de prevenção contra a covid-19. Porém, uma pesquisa feita pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e publicada na revista científica Toxicology and Applied Pharmacology revelou que a hidroxicloroquina utilizada de forma errada pode causar alterações nas células endoteliais (presente em vasos sanguíneos), prejudicando a circulação sanguínea nos pulmões e no coração.


 (Foto: Reprodução/ Pfizer)


O Conselho Federal de Medicina (CFM) revelou que 77% dos brasileiros utilizam medicamentos sem orientação médica. O uso de medicação incorreta pode ocasionar agravamentos de doenças já existentes e, neste período de pandemia, tornar a pessoa ainda mais vulnerável aos riscos.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) revelou que 18% das mortes por envenenamento no Brasil podem ser causadas devido ao mal uso de medicamentos. Além disso, a automedicação pode gerar riscos como a intoxicação, reação alérgica e resistência do organismo aos medicamentos.

(Foto Destaque: Reprodução/ ICTQ Farmácia Clínica)

 

Harmonização x desarmonização facial: dr. Aquiles Rodrigues explica como evitar exageros

Como a mudança climática vem afetando as pessoas ultimamente

Por que a vacina contra a Covid-19 ainda não está disponível para crianças?

Deixe um comentário