Esportes

A história de doping russa e o ROC nas olimpíadas 2020

Pega em escândalo antidoping, a Rússia foi banida de competições esportivas por 4 anos, incluindo as olimpíadas de Tóquio, por isso foi aos jogos com seus atletas utilizando uniformes que contem a sigla ROC.

3 min de leitura
05 Ago 2021 - 18h30 | Atulizado em 05 Ago 2021 - 18h30

Pega em escândalo antidoping, a Rússia foi banida de competições esportivas por 4 anos, incluindo as olimpíadas de Tóquio, por isso foi aos jogos com seus atletas utilizando uniformes que contem a sigla ROC.

ROC, em inglês, ou Comitê Olímpico Russo, foi a saída para que atletas russos não ficassem de fora das olimpíadas devido a punição do país. Em 2015, a Wada (Agência Mundial Antidoping) deixou claro sua rigidez quanto a punição à Rússia, mas que defende os direitos dos atletas que comprovadamente não estavam envolvidos na fraude.

Leia mais: Brasil ganha 19 medalhas e iguala feito histórico em olimpíadas

Brasil fica fora de final olímpica de võlei masculino

Brasil vence Rússia e avança para frinal olímpica de võlei feminino

Para que participassem foi necessário que comprovassem não envolvimento dos 335 atletas com o escândalo antidoping. Por serem considerados "neutros" devem seguir algumas regras que deixam explícito não estarem representando a Rússia na competição.


(Foto: Phil Noble/Reuters)


Escândalo antidoping

O caso teve início em 2015, após surgirem evidências que levavam a crer governo local patrocivana doping em massa no esporte do país. Já em 2019, a WADA, Agência Mundial Antidoping, concluiu que os russos alteraram dados laboratoriais sem autorização, plantaram evidências falsas e apagaram arquivos conclusivos de possíveis casos de doping. Foi decidido pelo comitê da agência Mundial que o país estaria banido por quatro anos de competições internacionais, por entender que a agência antidopagem russa não cooperou com investigações. Em 2020, após uma apelação, a TAS, Tribunal Arbitral do Esporte, decidiu diminuir a pena para 2 anos, tendo fim em dezembro de 2022.

Com isso, os atletas não podem competir com o nome da Rússia, nem seu hino poderá ser tocado, além de não haver menção a bandeira do país. Porém, foi permitido o uso das cores oficiais - vermelho, branco e azul - nos uniformes. A Rússia nega ter patrocinado qualquer progama de dopagem com seus atletas.

Contudo, a Rússia nega ter patrocinado qualquer progama de dopagem com seus atletas

 

(Foto destaque: Dylan Martinez / Reuters)

Deixe um comentário