Celebridades

Vítima de Jeffrey Epstein acusa o Príncipe Andrew de abuso sexual

O Príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II, foi acusado na última segunda feira (10) de abuso sexual. A ex-escrava sexual de Jeffrey Epstein relata orgia e abuso no apartamento do pedófilo milionário. Virginia Giuffre abriu o processo relatando o

3 min de leitura
10 Ago 2021 - 16h30 | Atulizado em 10 Ago 2021 - 16h30

Nesta segunda-feira (09), Virginia Robert Giuffre abriu um processo contra o Príncipe Andrew, acusando-o de agressão sexual quando ela tinha 17 anos. Virginia, uma das vítimas do pedófilo bilionário Jeffrey Epstein, afirma que o príncipe abusou sexualmente dela na mansão Epstein, em Manhattan e em Londres.  

 

 

O processo cita a Lei das Vítimas Infantis de Nova York que permite que vítimas de abusos sexuais na infância entrem com ações civis. Em comunicado, o advogado David Boies falou sobre o caso: “Virgínia está empenhada em tentar evitar situações em que pessoas ricas e poderosas escapem de qualquer responsabilidade por suas ações” 

 

No processo, Virginia conta que Andrew cometeu abuso em Londres, na casa de Ghislaine Maxwell, namorada de Epstein e também acusada de tráfico sexual envolvendo meninas menores de idade. Jeffrey Epstein cometeu suicídio na prisão em 2019 enquanto aguardava julgamento.  

 


Andrew e Virginia, ainda menor de idade (Reprodução/Metro)


“Estou responsabilizando o príncipe Andrew pelo que ele fez comigo. Os poderosos e os ricos não estão isentos de serem responsabilizados por suas ações.” disse Virginia em um comunicado. Ela também incentiva a coragem para a denúncia: “Espero que outras vítimas vejam que é possível não viver em silêncio e medo, mas pode-se recuperar sua vida falando e exigindo justiça”. 

 

Jeffrey Epstein e o filho da rainha Elizabeth II mantinham amizade desde 1999 e, segundo documentos, em 2001, Virginia foi levada ao rancho de Epstein, onde foi obrigada a se relacionar com Andrew. Além disso, em 2007, Andrew teria “pressionado o governo dos EUA a conceder um acordo judicial a Epstein”, quando o bilionário foi preso por suas condenações.  

 

Príncipe Harry assinou contrato para quatro livros sobre a família real (r7.com)

Família real pode tomar 'ações legais' contra príncipe Harry após anúncio de autobiografia (r7.com)

Michelle Obama reage às acusações de racismo da Família Real Britânica feitas por Meghan Markle (r7.com)

 

A emissora BBC entrou em contato com Palacio de Buckingham e o Príncipe Andrew se pronunciou sobre o assunto, negando todas as acusações: "Não aconteceu. Posso dizer categoricamente que nunca aconteceu. Não me lembro de alguma vez ter conhecido essa senhora", disse Andrew sobre as primeiras acusações, ainda em 2019.  

 

Recentemente, outra vítima de Epstein, Johanna Sjoberg afirmou que o príncipe a tocou sem consentimento no apartamento do bilionário, em 2001, piorando a situação do duque de York.  


(Reprodução/Getty Images)


 

Em declaração, o Príncipe diz lamentar associações maldosas a Jeffrey Epstein: “Seu suicídio deixou muitas perguntas sem resposta, especialmente para suas vítimas, e eu sinto uma profunda simpatia por todos que foram afetados e desejam alguma forma de encerramento”. Na época, o Príncipe Andrew declarou apoio e disse estar disposto a ajudar nas investigações contra Epstein mas em abril deste ano, o mesmo recusou uma proposta de US$ 7 milhões de dólares para fazer uma entrevista sobre o caso utilizando o teste de polígrafo, conhecido como detector de mentiras.   

 

Foto destaque (Reprodução/Getty Images)

Deixe um comentário