Saúde

Vacina da Pfizer mostra 100% de eficácia em adolescentes após 4 meses

Estudos indicam que vacina da Pfizer e BioNTech não apresenta efeito colateral relevante entre adolescentes de 12 e 15 anos; imunizante é autorizado para a faixa etária no Brasil

3 min de leitura
22 Nov 2021 - 20h36 | Atulizado em 22 Nov 2021 - 20h36

A eficácia de alguns imunizantes contra a Covid-19 ganhou um novo posicionamento positivo apontando que a vacina apresenta forte proteção de longo prazo no combate ao vírus, de acordo com os laboratórios Pfizer e BioNTech. As empresas anunciaram nesta segunda-feira (22) uma pesquisa de fase 3 realizada com jovens de 12 a 15 anos. 

O estudo apontou também que há 100% de comprovação de atuação positiva nos adolescentes dessa faixa etária. No Brasil, para o público analisado a vacina da Pfizer é a única autorizada.

 

 

https://lorena.r7.com/colunista/Lili-Bustilho/post/Bolsonaro-sanciona-projeto-do-Auxilio-Gas-para-familias-de-baixa-renda

https://lorena.r7.com/colunista/Lili-Bustilho/post/Payet-e-atingido-por-garrafa-e-jogadores-de-Lyon-e-Olympique-saem-de-campo


De acordo com a informação das duas farmacêuticas, nenhum efeito colateral relevante foi identificado. As reações foram consistentes, após seis meses de análise para verificar a qualidade antiviral comparando-as com outros dados de segurança clínica da vacina. O estudo foi feito com 2.228 pessoas e de acordo com a Pfizer foram confirmados 30 casos de Covid-19 sendo que estes indicaram 100% de eficácia do imunizante, ou seja estavam no grupo placebo.

O presidente do Conselho e diretor executivo da Pfizer, Albert Bourla, enfatizou que as informações adicionais permitem mais confiança na segurança tendo em vista que há o trabalho amplo para obter o aumento do número de vacinados em todo o mundo. Assim também com a eficácia em adolescentes. 


 

Vacina da Pfizer/BioNTech. (Foto: Reprodução/Sesapi)


Bourla pontuou que os fabricantes estão ansiosos para compartilhar com outros agentes reguladores renomados, como a Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA), os dados da pesquisa. Os laboratórios indicaram que em 2.228 participantes do ensaio completamente imunizados não foi checado nenhum caso da doença. Em relação aos casos sintomáticos houve 30 no grupo que recebeu o placebo.

A submissão programada nos Estados Unidos e em todo o mundo, para a aprovação regulatória total da vacina para o mesmo público-alvo terá o apoio de dados de longo prazo. 

A Pfizer e a BioNTech tentarão autorização para aplicação em pessoas com 12 anos ou mais de uma dose de 30 microgramas da vacina. Para o uso emergencial em jovens entre 12 e 15 anos a vacina foi permitida, em maio, pela Agência reguladora dos EUA. Já em agosto conseguiu liberação total para uso em pessoas com 16 anos ou mais.

 

Foto Destaque: Vacina contra a Covid-19. Reprodução/Getty Images/iStock.

Deixe um comentário