Saúde e Bem Estar

Riscos de anabolizantes: Ex-panicat fala sobre efeitos colaterais

Ex panicat Lizi Benites conhecida na época por Piu-Piu, relata uso de anabolizantes para entrar em padrões de beleza ,porem sofre com efeitos colaterais

3 min de leitura
03 Set 2021 - 16h08 | Atulizado em 03 Set 2021 - 16h08

A ex-Panicat Lizi Benites revelou que já chegou a tomar substâncias para aumentar sua massa muscular na época em que era assistente de palco do programa "Pânico na TV". Ela disse que seu objetivo para ficar a aparência mais curvilínea, como as outras colegas de trabalho. “Foi uma briga, mas tomei”, disse ao listar os efeitos colaterais.

“O meu corpo era o corpo mais natural, mas eu tomei anabolizantes. Caiu o meu cabelo, a cara encheu de espinha, mas o corpo estava ok. Eu não aconselho, eu tomei porque quando eu entrei no Pânico, eu tinha 49 kg, hoje eu tenho 56 kg, eu era muito magra. Eu chegava e as meninas tinham os corpos maravilhosos. Eu ia para os eventos, as pessoas falavam ‘sua gostosa’ para outras meninas e, para mim, nada”, disse ela. 

 

Conheça o risco de anabolizantes 

Quem é do mundo fitnes ou do esporte já ouviu falar sobre reposição hormonal e anabolizantes mas saiba que o procedimento, tratado naturalmente e recomendado por muitos influenciadores no Instagram e até alguns médicos, nada mais é do que um nome disfarçado para as populares bombas (anabolizantes), que ganharam um novo nome, disfarçado e livre das conotações negativas.


 

(Foto: Reprodução/uol.com.br)


Os anabolizantes são medicamentos de substância de origem hormonal ingeridos ou injetados, indicados por médicos para pessoas com problemas específicos. No entanto, contribuem com o aumento de performance física, ganho de massa muscular e, consequentemente, perda de gordura. Por isso, são utilizados por quem busca um atalho para acelerar os resultados no treino.Eles incluem os hormônios esteroides, que são a testosterona e os derivados dela, como a oxandrolona e o estanozolol. Mas outros hormônios, como o do crescimento (GH), também podem ser usados para os mesmos fins.

Nos homens, quando o hormônio atinge níveis muito altos, como é o caso de quem toma anabolizante, aumenta-se o risco de doenças cardíacas, cai o nível de colesterol HDL (considerado como protetor), sobrecarrega o fígado, podendo levar a quadros de hepatite, e ainda aumenta a irritabilidade e agressividade dos indivíduos, e em  mulheres, alguns dos efeitos do excesso do hormônio aparecem em pouco tempo, como pele mais oleosa, acne, queda de cabelo e crescimento de clitóris. Os mesmos perigos em relação à intoxicação hepática e riscos cardíacos também se aplicam a elas.

 


https://lorena.r7.com/post/ANS-afirma-que-reclamacoes-contra-planos-de-saude-aumentaram-durante-a-pandemia

https://lorena.r7.com/post/Tendencia-entre-criancas-e-jovens-Pop-It-ajudar-a-aliviar-o-estresse

https://lorena.r7.com/post/Covid-19-Quantidade-de-obitos-e-novos-casos-seguem-em-queda-no-Brasil


 

Para quem esta indicado?

Só é recomendada a reposição hormonal para casos específicos, nos quais o paciente realmente precisa. "Crianças com falta do hormônio de crescimento ou homens com doenças genéticas que impedem a fabricação natural de testosterona, ou que perderam o testículo em algum acidente... Esses são os tipos de casos em que há a recomendação, mas apenas para que os hormônios fiquem em níveis normais", esclarece a endocrinologista e metabologista Andressa Heimbecher, colaboradora do Grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica do HC-FMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). 

A vontade de usar anabolizantes, através de agulha ou comprimidos, partiu dela. "Ninguém nunca falou para mim. Foi eu mesma, eu lutava contra isso. Eu achava que eu precisava me enquadrar naqueles padrões" contou a ex-panicat.

De acordo com a especialista, apesar de parecem casos isolados, as complicações como infartos, derrames e morte súbita por arritmia, para quem faz uso das substâncias, são relativamente comuns e podem parecer eventos sem qualquer relação às bombas.

 

(Foto destaque:ex-panicat na época e atualmente/Reprodução/agazeta.com.br/)

Deixe um comentário