Esportes

Rebeca Andrade faz história no Mundial de Ginástica Artística

Rebeca Andrade finaliza o Mundial de Ginástica Artística na sexta colocação, na disputa da final das traves, porém alcançou marca histórica na conquista das medalhas de ouro e prata em outras modalidades.

3 min de leitura
24 Out 2021 - 19h35 | Atualizado em 24 Out 2021 - 19h35

Rebeca Andrade finalizou sua participação no Mundial de Ginástica Artística de Kitakyushu neste domingo (24), e fez história ao levar o Brasil em sua melhor campanha da competição. A ginasta disputou a final da trave e terminou em sexto, com 12,500 pontos, porém já tinha conquistado um ouro no salto e uma prata nas barras assimétricas. 

 

Rebeca, de 22 anos, alcançou marca histórica brasileira, sendo a primeira representante do Brasil a conquistar duas medalhas numa mesma edição Mundial e se igualou a Flávia Saraiva na disputa da trave. “Na ginástica, tudo pode acontecer, tanto o acerto excepcional, quanto o erro que a gente não quer. Mas a gente tem que seguir com a cabeça firme, seguir com a série segura, porque faz muita diferença. Mesmo com a queda, você pode terminar em uma colocação boa. Terminei em sexto, e estou muito feliz”, disse Rebeca ao canal SporTv 


 

Rebeca Andrade (Reprodução / Confederação Brasileira de Ginástica)


Na disputa do salto, em que ganhou o ouro nesta edição, Rebeca somou 14,966 pontos. Atrás da campeã, a italiana Asia D’Amato ficou em segundo lugar, classificada com 14,083 pontos e em terceiro, a russa Angelina Melnikova, com 13,966 pontos. Nas barras assimétricas, Rebeca pontuou em 14,633, conquistando a medalha de prata. A chinesa Xiaouyan Wei ficou em primeiro lugar e ganhou o ouro.  

 

“Foi muito importante, assim como foram as medalhas olímpicas. Estou indo junto com as lendas. Não tem palavras para explicar isso. Hoje outras meninas me têm como exemplo e estão se vendo através dos meus feitos. Isso é importante para mim, porque quando eu era criança, eu via as pessoas assim também. Estou muito feliz”, disse a ginasta.  


 

Rebeca Andrade (Reprodução / Confederação Brasileira de Ginástica)


Com o feito de Rebeca, o Brasil alcançou a marca de 16 medalhas no Mundial. Além de Rebeca Andrade, que já havia feito história nas Olimpíadas de Tokyo, quando conquistou duas medalhas, os ginastas Diego Hypolito, Arthur Zanetti, Daiane dos Santos, Arthur Nory, Daniele Hypolito e Jade Barbosa, já subiram no pódio do mundial. 

 

Em noite brilhante de John Kennedy, o Fluminense vence o Flamengo no Maracanã

São Gonçalo acerta com ex Fluminense pra a terceira divisão carioca

Volante Pepê é criticado em rede social após fala homofóbica

 

Ao fim, Rebeca declarou que irá tirar merecidas férias, porém, já idealiza a vaga nas Olimpíadas de Paris, em 2024. “Na minha cabeça tenho sempre que o futuro só a Deus pertence. Mas vou continuar treinando firme como fiz todos esses anos para chegar na hora saber respeitar o que meu corpo precisar. Quero muito mesmo estar em Paris junto com a equipe. Vai ser muito importante para a gente conseguir essa vaga. Vou dar 110% de mim para que a gente consiga”, completou Rebeca.  

 

Caio Souza também representou o Brasil neste domingo e participou da final nas paralelas, mas terminou na sétima colocação, com 14,566 pontos. 

 

Foto destaque: Rebeca Andrade. Reprodução / Confederação Brasileira de Ginástica

Deixe um comentário