Bem Estar

Pessoas que contraíram covid-19 podem apresentar sequelas da doença após um ano

Após um ano do contágio, é possível ter sequelas devido à covid-19. A cantora Joelma, 46 anos, sofre com as sequelas mesmo após um ano do contágio da doença, em julho de 2020.

3 min de leitura
07 Set 2021 - 18h29 | Atulizado em 07 Set 2021 - 18h29

 

Pesquisa da USP diz que 60% das pessoas que contraíram o novo coronavírus podem apresentar sequelas da doença após um ano do contágio. A pesquisa foi feita com 750 pacientes que estiveram internados no Hospital das Clínicas da universidade durante o primeiro semestre de 2020. Os pesquisadores afirmam que estes pacientes serão estudados por um período de quatro anos e que 30% destas pessoas apresentam alterações pulmonares. Parte dos pacientes estudados demostram sintomas emocionais, cardiológicos e cognitivos, como a insônia, ansiedade e perda de memória. Os sintomas e sequelas da covid-19 são variados e atuam de diferentes formas em cada pessoa.

Tendência entre crianças e jovens, Pop It ajuda a aliviar o estresse

Entenda como funiona o aneurisma cerebrau e AVC, que levaram a morte de Josy Oliveira, ex-BBB

Brasil vê queda no número de mortes por covid-19 e tem 62,98% da população com ao menos uma dose da vacina

Os sintomas mais comuns são a falta de ar, fadiga e dor de cabeça. Para o professor titular de pneumologia da USP e diretor da divisão de pneumologia do Instituto do Coração (InCor), Carlos de Carvalho, as sequelas podem ser revertidas a longo prazo. “Há casos em que os pulmões ainda apresentam inflamações mesmo um ano depois da alta hospitalar. Já vimos que essas inflamações podem virar fibroses (que são permanentes)”, afirma Carlos. O professor também relata que em casos em que o paciente tem complicações da covid-19, as sequelas são piores e por um período maior. “Percebemos que os pacientes que demoraram mais a serem encaminhados para o Hospital das Clínicas chegaram em um estado mais grave e isso também agrava as sequelas. Quanto maior o tempo de internação e gravidade das infecções, maior a tendência de haver mais sequelas a longo prazo”.


 

                       

                                                    Joelma durante a live "A Festa Começou". (Foto: Reprodução/ Instagram)


Um dos casos mais conhecidos devido às sequelas de covid-19, a cantora Joelma sofreu com sequelas que afetaram a mente, o estômago, o intestino, além de inchaços frequentes e a respiração curta. A cantora de 46 anos contraiu a doença em julho de 2020 e após inúmeros tratamentos para conter o inchaço, faz tratamento com ozonioterapia. Recentemente, Joelma anunciou a volta aos palcos com a turnê “Isso É Calypso” em 2022, com os maiores sucessos da extinta Banda Calypso e da carreira solo.

 

 

Ilustração. (Foto Destaque: Reprodução/ Pixabay)

Deixe um comentário