Bem Estar

Os desafios da mulher moderna – Parte 2

Mulheres revolucionam mercado, mas devem investir na saúde para suportar esse cotidiano. Agora vamos falar sobre ortopedia e terapias na parte 2 da reportagem.

3 min de leitura
28 Out 2021 - 18h30 | Atualizado em 28 Out 2021 - 18h30

Vamos continuar nossa série sobre os “Desafios da Mulher Moderna”. Na primeira parte vimos que devemos comemorar essa autonomia feminina, mas é necessário que elas tenham cuidados específicos com a saúde, pois são mães, esposas e profissionais dedicadas. Na reportagem inicial abordamos sobre exames, vacinas e alimentação. Agora os focos são os cuidados ortopédicos e tratamentos complementares como a acupuntura. Então vamos em frente.

Ortopedia

Os problemas ortopédicos também merecem muita atenção. Existem particularidades no cenário feminino. “Na fisioterapia os acometimentos patológicos femininos comuns são as lombalgias, cervicalgias, cervicobraquialgias, tendinites, dores nas articulações em geral. Atualmente a informação está acessível para todas, seja online, em revistas, jornais ou TV. Sendo assim, pessoas buscam os tratamentos mais rápidos, seja na fisioterapia ortopédica/convencional ou nas outras atividades em que o fisioterapeuta atua como, por exemplo, na reabilitação por meio do método pilates, com grande presença feminina. Antigamente, as pessoas procuravam o atendimento apenas após a lesão”, diz a fisioterapeuta especialista em dermatofuncional e professora de pilates, Fábia Ferreira.


Em dias atribulados, o Pillates é uma boa recomendação para a manutenção da saúde da mulher. (Foto: Reprodução/Crello)


Tratamentos complementares

Existe muita variedade em tratamentos e atividades físicas para complementar e auxiliar a medicina tradicional. A acupuntura, técnica oriental milenar, ainda é muito utilizada. Mais uma vez a questão hormonal ganha ênfase: “As mulheres nos procuram muito na fase reprodutiva; quando estão de TPM por causa da ansiedade e irritabilidade cólica menstrual; por causa da enxaqueca; por atraso, falta ou excesso de menstruação; por baixo ou alta libido; por busca de fertilidade; por intestino irritado, dentre vários outros motivos. A técnica trabalha as funções energéticas do corpo, especificamente dos órgãos, trabalhando impactos da circulação dos fluidos corporais. As patologias vêm desse desequilíbrio, seja excesso ou falta de energia em meridianos corporais. Então, introduzimos agulhas finas nesses pontos para regular a energia desses locais, seja em excesso ou escassez. Nossa maior demanda é de pessoas com ansiedade, compulsão alimentar, falta de concentração, irritabilidade e insônia”, explica a técnica em acupuntura, Andressa Helena.

 

https://lorena.r7.com/post/Os-desafios-da-mulher-moderna-Parte-1

https://lorena.r7.com/post/Saude-mental-Problemas-com-os-barulhos-urbanos

https://lorena.r7.com/post/Aleitamento-materno-libere-a-mae-dentro-de-voce


Outra técnica oriental muito utilizada também é a yoga. A professora de yoga, Jaqueline Barros, mostra que a prática influencia no controle hormonal e de fertilidade: “A mulher possui ciclos hormonais que se alteram durante o mês e isso interfere diretamente no seu humor, no seu corpo e nos bloqueios emocionais. Com a prática regular da yoga, ela passa a ter mais controle emocional, mais tranquilidade e até mais prazer sexual, superando as cobranças.”
A fisioterapeuta Suellen Feitosa reforça a especificidade do corpo feminino: “Durante as fases da vida, a mulher é influenciada, de forma fisiológica e psíquica, pelas mudanças hormonais, pelo ciclo menstrual, pela gestação, pela amamentação e pela menopausa. Muitos problemas relacionados à fertilidade, à amamentação, ao parto, à menopausa podem surgir, e estão relacionados ao modo de vida das mulheres, com menos descanso”, destaca a profissional em seu site. Confira as dicas da profissional:

 

A acupuntura para a mulher combate males como:

  • Tontura, enxaqueca.
  • Ansiedade, depressão.
  • Incontinências urinária e fecal.
  • Fibromialgia e dores.
  • Diarreia e constipação.
  • Distúrbios menstruais como irregularidade, amenorréia, TPM, cólicas menstruais, fluxo intenso.
  • Ovários policísticos, endometriose.
  • Infertilidade.
  • Sintomas da menopausa como ondas de calor, alterações de humor, insônia e tontura.
  • Acne, oleosidade, rejuvenescimento da pele facial e diminuição das linhas de expressão por meio da acupuntura estética.
  • Disfunções durante a gravidez e no pós parto.

A reportagem continua na parte 3. Veja também os “Os Desafios da mulher moderna - Parte:1”

 

Foto Destaque: Os desafios da mulher moderna – Parte 2. Reprodução/Creelo

Deixe um comentário