Celebridades

Marca de roupas de Kéfera é acusada de suposto plágio

A marca de moletons da atriz e influenciadora Kéfera Buchmann está envolvida em um suposto plágio. Internautas apontam que a marca Komfive oferece roupas similares as vendidas no site do Moco Museum, em Amsterdam.

3 min de leitura
31 Ago 2021 - 17h48 | Atulizado em 31 Ago 2021 - 17h48

A influenciadora e atriz Kéfera Buchmann viu o nome da sua recente marca de roupas, a Komfive, envolvida a um possível plágio. Tudo porque internautas começaram a notar a semelhança da grife de Kéfera, com as expostas no site do Moco Museum, em Amsterdam. Os internautas apontam que Kéfera copiou o modelo e a frase que estampa os moletons.


Marca Komfive, da atriz Kéfera, foi lançada no início de Agosto. Reprodução/Instagram


Kéfera lançou sua grife de roupas no dia 5 de agosto. A linha das roupas são moletons – casacos e calças. Na estampa existe uma frase que diz “In art we trust”, que traduzida para o português, significa “Nós confiamos na arte”.  Na loja online os modelos são vendidos a R$240,00 reais.

Já os modelos do Moco Museum são similares aos vendidos pela Komfive. Internautas começaram a questionar essa semelhança no Twitter e pedindo esclarecimentos de Kéfera. Após a polêmica ter começado, os comentários feitos na rede social, denunciando o suposto plágio, foram apagados.

Bianca Andrade se pronuncia e defende Vivian Amorim após gravidez vazada

Príncipe Harry e Meghan Markle correm risco de processo caso falem o nome de membro da realeza que fez comentário racista

Rafa Brites desabafa sobre dificuldade em aceitar o próprio corpo

A atriz não deu nenhum pronunciamento a respeito do caso. Apenas sua assessoria emitiu a seguinte nota “A frase usada (no moletom) é de domínio público, não há registro de licença para uso exclusivo, por isso ela é utilizada por diversas outras marcas em casacos, camisetas, blusas, quadros, xícaras e outros produtos similares”. Ainda segundo a nota, a frase que estampa os moletons foi usada como título de um livro dos anos 1980 e de um documentário lançado em 2016.

Por fim a nota diz ninguém desrespeitou as leis de propriedade intelectual e que as peças possuem um corte genérico “As peças de vestuário são cortes genéricos e não possuem desenho industrial registrado, sendo assim utilizadas de forma legal por diversas marcas do segmento de moda”.

 

 

(Foto destaque: Nome da marca de roupas de Kéfera é envolvido em suposto plágio. Reprodução/Wherb)

Deixe um comentário