Tech

Introdução ao metaverso: uma realidade próxima do que conhecemos

Com o início de uma nova fase para a empresa Facebook Inc., Mark Zuckerberg aposta no desenvolvimento do metaverso e companhia adere novo título: "Meta".

3 min de leitura
22 Dez 2021 - 09h31 | Atulizado em 22 Dez 2021 - 09h31

Através de um anúncio recente de Mark Zuckerberg, a empresa Facebook Inc., dona de grandes nomes como WhatsApp, Facebook e Instagram, oficialmente ganhará um novo título: “Meta”. As redes foram bombardeadas por especulações sobre o novo investimento de Mark, ao qual, pretende tornar realidade o conceito de metaverso que, para muitos, ainda é uma alternativa fora de nosso alcance.

O universo cyberpuk costuma brincar bastante com realidades distópicas do que seria o metaverso, entre elas, é válido ressaltar a obra originadora desse conceito, Snow Crash. O livro foi lançado em 1992 por Neal Stephenson, e, protagonizado por Hiro, a história aborda sobre a imersão no universo tecnológico, para longe de nossa realidade, por meio de um óculos e fone. Dentro de um universo parecido, porém, mais recente, o Jogador N°1 (do autor Ernest Cline) retrata o ano de 2045, onde Wade Watts encara uma aventura dentro do jogo de realidade virtual “OASIS”, buscando desvendar os enigmas deixado pelo próprio criador da plataforma, James Halliday, após sua morte.


Mark Zuckerberg apresenta Meta (Foto: Reprodução/Facebook)


Afinal, o que é metaverso? Trata-se de um mundo virtual compartilhado, baseado no mundo real e gerado por dispositivos tecnológicos. Esse conceito unifica as perspectivas do real e virtual, e, dessa forma, atribuindo inovações tecnológicas para aperfeiçoar a imersão do usuário nessa “nova” realidade criada.

https://lorena.r7.com/post/O-que-e-afrofuturismo-e-a-sua-influencia-na-arte-e-tecnologia

https://lorena.r7.com/post/Ifood-testa-drones-para-entrega-de-pedidos

https://lorena.r7.com/post/Sua-profissao-pode-ser-substituida-por-robos-ate-2030


 

Mark Zuckerberg acredita na possibilidade de tornar real a próxima etapa da comunicação e interação, e, agora, a empresa Meta está trabalhando no desenvolvimento de um mundo virtual, com a possibilidade dos usuários com outras pessoas, marcas e empresas. Em contrapartida, as empresas como MetaHero e Decentraland já atuam como concorrentes desse mercado, e esse ano, em um evento ocorrido em Dubai, a MetaHero em parceria com a Sony apresentaram câmeras capazes de transformar pessoas e objetos em protótipos 3D.

 

Fonte destaque: Metaverso. Foto: Reprodução/Artlabs.

Deixe um comentário