Notícias

É recomendada pela Anvisa que a entrada ao Brasil seja restrita a quem não estiver vacinado

A Casa Civil recebeu recomendação da Anvisa para que entrada ao Brasil seja restrita a quem não estiver vacinado, com essa medida trará mais proteção e conforto aos brasileiros contra a Covid-19.

3 min de leitura
25 Nov 2021 - 21h10 | Atulizado em 25 Nov 2021 - 21h10

Nesta quinta-feira, 25 de novembro, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) fez um comunicado oficial, onde aponta duas notas técnicas para que sejam proibidas as entradas de pessoas não vacinadas contra o vírus da Covid-19 no Brasil, notas essas que estão direcionadas à Casa Civil. Lembrando que a dose única ou a segunda dose do imunizante deve ser tomada 14 dias antes para começar a surgir o efeito da proteção.

 

Como na medida em que estava sendo tomada não era preciso ter sido vacinada, a nova política de entrada que foi recomendada pela Anvisa para começar a ser executada, dará muito mais conforto e proteção para população brasileira e para quem vier de fora do país. Levando em consideração que será restrita a entrada de quem não tiver nenhuma das doses, tanto por vias aéreas, terrestres e marítimas, assim evitará maior contágio da doença.


Recomendação de vacinação para entrar no Brasil (Foto: Reprodução/Siphiwe Sibeko/Reuters/exame.)


 

Esclarecimento da Anvisa sobre uma das notas: "A inexistência de uma política de cobrança dos certificados de vacinação pode propiciar que o Brasil se torne um dos países de escolha para os turistas e viajantes não vacinados, o que é indesejado do ponto de vista do risco que esse grupo representa para a população brasileira e para o Sistema Único de Saúde".

 

Ainda sem sinal de resposta por parte da Casa Civil sobre a recomendação reforçada, o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e o Conasems (Conselho Nacional de Secretárias Municipais de Saúde) reforçam as notas das medidas recomendadas pela Anvisa: "Estes Conselhos esperam que o Governo Federal seja sensível às orientações técnicas da agência reguladora e estabeleça as medidas necessárias no mais breve espaço de tempo".

 

É bom ressaltar que as entradas no país serão controladas e aprovadas de acordo com as fabricantes aceitas pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e pela própria Anvisa, além de outras que ainda estão sendo estudadas.

 

https://lorena.r7.com/post/Entenda-porque-o-Brasil-podera-ter-um-novo-feriado

 

https://lorena.r7.com/post/Egito-tera-megaevento-para-reinaugurar-avenida-historica

 

https://lorena.r7.com/post/Rio-tem-surto-de-influenza-sintomas-podem-ser-confundidos-com-a-Covid-19


 

"Os critérios para a entrada de estrangeiros ou brasileiros vindos do exterior são elaborados de forma integrada e interministerial, visando sempre à segurança e o bem-estar da população brasileira", declaração feita pelo Ministério da Saúde.

 

Jamal Suleiman, infectologista do Instituto Emílio Ribas dá sua opinião sobre o assunto, depois do pedido da Prefeitura de São Paulo feito ao ministério de que o passaporte de comprovação da vacinação deveria ser obrigatório para a entrada de estrangeiros nas terras brasileiras: "Primeiro, porque você pode, nesse tipo de situação, portar variantes que eventualmente não estejam nesse território. Você pode trazer essas variantes ou esses subtipos de um lugar pra outro. A gente deve agregar várias outras estratégias que possam minimizar o impacto disso, o que inclui vacinas, obviamente".

 

 

Foto destaque: Passaportes brasileiros.Reprodução/Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil/RadioagênciaNacional

Deixe um comentário