Saúde e Bem Estar

Doação de medula óssea: todo cidadão pode salvar uma vida

É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos Hemocentros de cada estado do Brasil. O cadastro vai para o Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea e pode ser utilizado em todos os estados.

3 min de leitura
10 Set 2021 - 21h58 | Atulizado em 10 Set 2021 - 21h58

Você pode sempre fazer a diferença ao próximo e até salvar uma vida. Portadores de anemias graves, leucemia e imunodeficiências necessitam de um rígido tratamento específico, muitas vezes com transplante de medula óssea. Em suma, a possibilidade de encontrar um doador compatível é de uma a cada 100 mil pessoas. Assim, quanto mais voluntários, maiores as possibilidades que os pacientes têm de cura.

É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos Hemocentros de cada estado do Brasil. O cadastro vai para o Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea e pode ser utilizado em todos os estados. Diversas campanhas são realizadas com o objetivo de mostrar para a população que a doação pode ser apenas um incômodo passageiro para o doador, mas, para o doente, pode ser a diferença entre a vida e a morte. A doação de medula óssea é um verdadeiro gesto de solidariedade e de amor ao próximo.

De acordo com o Ministério da Saúde para se tornar um doador de medula óssea é necessário ter entre 18 de 35 anos de idade e estar em bom estado de saúde, não ter doença infecciosa transmissível pelo sangue (como infecção pelo HIV ou hepatite) e não apresentar histórico de doença neoplástica (câncer), hematológica ou autoimune (lúpus eritematoso sistêmico e artrite reumatoide). Faça seu cadastro e seja um doador de medula óssea.

https://lorena.r7.com/post/Saude-dos-pes-Podologia-esta-alta

https://lorena.r7.com/post/SpiN-TEC-Vacina-brasileira-contra-COVID-19-em-2022

https://lorena.r7.com/post/Gratuito-Pare-de-fumar-em-tratamento-de-excelencia

No Brasil todo estado possui um centro de doação de medula óssea e existem facilidades para o ato. (Foto Reprodução: Agência Brasil)


Saiba mais

– Existe sempre um hemocentro em seu estado. Marque uma consulta de esclarecimento sobre doação.

-A rejeição é rara no caso do transplante de medula.

– O voluntário irá assinar o TCLE (Termo de Consentimento Livre e Esclarecido). É só preencher uma ficha com informações pessoais e retirar uma pequena quantidade de sangue (10ml).

-Os riscos para o doador são somente referentes ao procedimento cirúrgico (se necessário).

– A amostra de sangue será analisada por exame de histocompatibilidade (HLA), teste de laboratório que identifica características genéticas que vão ser cruzadas com os dados de pacientes que necessitam do transplante, ou seja, a compatibilidade.

-Cabe ao doador de medula óssea manter seu cadastro atualizado sempre que possível.

– Se surgir um paciente com possível compatibilidade, você será consultado e decidirá quanto à doação. 

-Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde pode ser doador.
-Em caso de compatibilidade, o doador é então chamado para exames complementares.

– Os seus dados pessoais e o tipo de HLA serão incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME).

– Para ir em frente com a seção de doação serão necessários mais exames para confirmar a compatibilidade.

– Só após todas as etapas concluídas o você poderá ser considerado apto à doação.

 

Foto destaque: Doação de medula óssea: todo cidadão pode salvar uma vida. (Reprodução/Alesp)

 

Deixe um comentário