Como as redes sociais podem afetar sua saúde mental

Publicado 04 de Dec de 2020 às 14:09

Um documentário da Netflix chamado O Dilema Das Redes Sociais tomou uma proporção absurda nos últimos meses. O filme relata, através de entrevistas e de uma própria simulação familiar, problemas causados pelos algoritmos das redes sociais e de mecanismos de buscas, como o Google. O documentário ganhou voz e fez com que muitos pensassem sobre o uso das redes sociais.

Não é novidade dizer que a maioria dos jovens atualmente têm contas veiculadas em mais de uma rede social. Uma empresa inglesa analisou dados de 45 dos maiores mercados de internet do mundo, estimando que cada pessoa dedica a sites ou aplicativos de mídia social cerca de 143 minutos, isso apenas no primeiro trimestre de 2019. O Brasil ocupa o 2° lugar no ranking mundial com tempo gasto na internet, com 225 minutos por usuário. Mas o que as redes sociais podem causar àqueles que a usufruem?

Leia mais: As redes sociais e sua influência nos transtornos alimentares 

Uma pesquisa realizada pela Royal Society of Public Health, entrevistou 1.479 adolescentes e jovens de 14 a 24 anos, no Reino Unido, para avaliar o impacto causado pelo uso das redes sociais. Os malefícios mostraram, em média, entrelaçados quanto à qualidade do sono, ao bullying, à imagem que a pessoa tem de seu próprio corpo, à necessidade de inclusão; de se manter conectado para não perder experiências virtuais e à ansiedade.


O livro de Jaron Lanier mostra como as redes sociais impactam nossa vida (Foto: Reprodução/Hapeness)


O livro 10 Argumentos Para Você Deletar Agora Suas Redes Sociais, escrito por Jaron Lanier, mostra que os modelos de publicidade e propaganda que conduz todo o universo da internet faz com que sejamos máquinas feitas para aceitar todos os algoritmos dela, modificando nossa maneira de pensar, agir e tomar decisões. “Evito as redes sociais pelo mesmo motivo que evito as drogas”, afirma Jaron, quando explicado o porquê se recusa a usar redes sociais.

Todavia, a internet sem dúvida nos possibilita uma gama enorme de criações, entretenimento e aproximação quanto àqueles que residem longe do nosso local de morada. Entretanto, quando “consumida” em excesso, as redes sociais podem tomar seu tempo para atividades mais produtivas e que fariam você desenvolver parte do seu cérebro condizentes à criatividade e a forma de pensar e agir.

Moderadamente, as redes sociais podem ter um uso superprodutivo. Ao contrário você só estará sendo controlado por empresas multimilionárias que querem saber de toda sua vida.

 

(Foto destaque: Filme “Dilema das redes” disponível na Netflix. Foto: Reprodução/Netflix)

Deixe um comentário