Moda

A influência da Primeira Guerra no guarda-roupa

Não é nenhuma novidade que a primeira guerra gerou efeitos que permanecem até hoje, um desses efeitos se fez aparente no guarda-roupas, seja de mulheres ou homens. Veja algumas dessas mudanças na vestimenta da época.

3 min de leitura
12 Ago 2021 - 12h40 | Atualizado em 12 Ago 2021 - 12h40

Veja como a Primeira Guerra Mundial alterou as vestimentas e o guarda-roupa. A moda sempre refletiu a sociedade em cada um dos seus períodos, por isto é usada por muitos para entender os hábitos da época em que se encontra. Não seria diferente com a chegada de uma das guerras mais devastadoras já vistas pela humanidade, alterando hábitos de países que nem estiveram envolvidos diretamente nos conflitos. 

Muitas mudanças foram causadas pela necessidade e não pela tendência. Com a mulher ganhando o papel de provedora ou se juntando aos homens nos fronts de batalha como enfermeiras, o guarda-roupa feminino se viu mais confortável e utilitário, o que se somou a recessão econômica e escassez de tecidos. 


Muitas mulheres se voluntariam para trabalhar como enfermeiras nas duas grandes guerras. Foto: Reprodução/Pixabay


Chapéus chamativos deram lugares para o clochê, os chapéus em formato de sino, assim como saias longas foram encurtadas e muitas vezes substituídas por calças, o que não era muito comum na época, se tornando uma peça coringa pela praticidade e para indicar categoria social. 

Estilistas influenciados pela época criaram peças inspiradas nos uniformes militares, como jaqueta e cintos, além de darem lugar para as cores mais sóbrias e neutras. O mesmo aconteceu com Coco Chanel quando criou uma das peças-chave de qualquer guarda-roupa, o ‘pretinho básico’ ou apenas black dress, muito popularizado até hoje. 

 

https://lorena.r7.com/post/Elenco-da-serie-Friends-lanca-colecao-de-produtos-em-edicao-limitada

https://lorena.r7.com/post/Bolsa-baguete-o-hit-dos-anos-90-esta-de-volta

https://lorena.r7.com/post/Moda-Vai-muito-alem-da-reproducao-de-um-look

 

Outro estilista de muito destaque na época foi Paul Poiret, que eliminou o uso do espartilho e diminuiu o número de roupas íntimas, dando maior praticidade para as vestimentas.  

O que ocorreu depois foi o efeito contrário, se iniciaram os chamados "Anos Loucos", que demonstravam o quanto os anos de repressão foram sofridos e a vontade das pessoas em viver anos melhores, mas isso nem sempre alcançava todas as camadas sociais.

A Primeira Guerra Mundial eliminou o luxo e a vestimenta formal o transformando em conforto e praticidade para um tempo de luto de período incontável. Mesmo após o final da guerra, peças informais se tornaram parte dos guarda-roupas femininos e masculinos, sendo possível ver as marcas deixadas pela crise do período até a atualidade, mudando para sempre a forma de consumo das camadas sociais.

 

 

Foto Destaque: Reprodução/Blog Isabella Mirindiba.

Deixe um comentário